Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Yorgos Karahalis
| Foto: Yorgos Karahalis

Os ministros de Finanças de Alemanha, Wolfgang Schäuble, e França, Pierra Moscovici, deram ontem entrevista coletiva conjunta para dizer que ambas as nações não medirão esforços para manter a Grécia no euro. "Concordamos em fazer todo o esforço possível nesse sentido", disse Schäuble. Apesar das declarações de apoio, o caos político grego tem alimentado fortemente a perspectiva de saída do país do euro. Em Atenas, o líder da esquerda radical grega, Alexis Tsipras (apontado como provável vencedor nas eleições legislativas de 17 de junho), disse que o plano de austeridade imposto pela UE e pelo FMI à Grécia em troca de assistência financeira não será negociado. "Porque o inferno não se negocia", afirmou. Na foto, um homem passa em frente de uma réplica de moeda de dracma – a antiga moeda grega, que pode ser reavivada caso o país deixe a unidade comum da Europa –, em frente à prefeitura de Atenas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]