i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
paralisação

Greve da Caixa chega ao 28º dia e pode se tornar a maior da década

Paralisação de 2009 dos bancários da Caixa Econômica alcançará o mesmo número de dias da greve em 2004, e poderá até superá-la. A expectativa é de que haja acordo entre as partes na audiência no TST, na manhã desta quarta-feira

  • PorFernanda Leitóles
  • 20/10/2009 15:27
A expectativa é de que possa haver acordo entre os representantes do banco e dos trabalhadores na audiência de conciliação e instrução que acontecerá no Tribunal Superior do Trabalho (TST) | Marcelo Elias / Agência Gazeta do Povo de Notícias
A expectativa é de que possa haver acordo entre os representantes do banco e dos trabalhadores na audiência de conciliação e instrução que acontecerá no Tribunal Superior do Trabalho (TST)| Foto: Marcelo Elias / Agência Gazeta do Povo de Notícias

E se não houver acordo?

Se não houver acordo entre as partes na audiência do TST, o ministro Dalazen apresentará uma terceira alternativa – diferente da apresentada pela Caixa e também daquilo que é pedido pelos trabalhadores. Se não houver êxito nas negociações, Dalazen sorteará outro ministro para que seja o relator do processo. Nesse caso o novo ministro irá analisar o processo e marcará uma nova audiência entre o banco e os trabalhadores.

Enquanto isso a greve deverá ser mantida. Porém, há a possibilidade de o banco apresentar uma nova proposta diretamente à Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), então haverá assembleia dos trabalhadores nos estados para votar os novos benefícios oferecidos. Caso contrário, na nova reunião o TST tentará mais uma vez estabelecer um acordo. Se não for possível, um colegiado que analisa questões relacionadas aos dissídios coletivos dará um parecer sobre o caso. Nessa situação o colegiado poderá considerar a greve abusiva , pois a decisão anterior foi dada em caráter liminar. Ou então poderá determinar que o banco conceda benefícios maiores do que havia oferecido.

Enfim, o colegiado do TST dará uma definição ao caso. No entanto, não há um prazo estabelecido para esses trâmites no TST, de acordo com a assessoria de imprensa do órgão. (FL)

A greve dos bancários da Caixa Econômica Federal chegará ao 28º dia nesta quarta-feira (21). A expectativa é de que possa haver acordo entre os representantes do banco e dos trabalhadores na audiência de conciliação e instrução que acontecerá no Tribunal Superior do Trabalho (TST) nessa quarta-feira, às 9 horas, em Brasília. A paralisação de 2009 dos bancários da Caixa Econômica alcançará o mesmo número de dias da que foi deflagrada em 2004, que também durou 28 dias, e poderá até superá-la. Essas duas greves são as mais longas da década.

A audiência de mediação e instrução foi marcada pelo ministro João Oreste Dalazen na sexta-feira (16), após negar o pedido de liminar da Caixa Econômica para que a greve fosse considerada abusiva. O ministro afirmou que deveria haver uma tentativa de conciliação entre as partes. Mesmo que haja acordo na audiência a paralisação não deve ser encerrada na quarta-feira, pois a proposta – do banco ou do próprio do TST – terá que ser votada nas assembleias em todo o país. Dessa forma, no caso de acabar a greve, as agências serão reabertas na quinta-feira (22).

Para o presidente do Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região, Otávio Dias, os trabalhadores esperam que o banco melhore a proposta, caso contrário não haverá acordo e a paralisação será mantida. Mas, a expectativa é de que haja acordo no TST na quarta-feira. "Sabemos que a população está sendo prejudicada. Esperamos que o banco realmente vá para a audiência querendo acordo", afirmou Dias.Os trabalhadores também criticaram o posicionamento do banco de partir para a instância jurídica e não dar continuidade às negociações.

Dias afirmou que uma das condições fundamentais para que seja feito acordo é de que a Caixa Econômica apresente uma proposta de reajuste do piso salarial da categoria, que atualmente é de R$ 1.454 (valor inicial pago aos trabalhadores a partir de 90 dias da data de admissão). "Esperamos que a Caixa tenha a mesma postura do Banco do Brasil, que reajustou o piso em 3%", disse o presidente do sindicato.

Outra reivindicação é de que 10 mil funcionários sejam contratados através de concurso público. Segundo Dias, o governo federal autorizou a admissão no Banco do Brasil e agora a expectativa é de que o mesmo aconteça na Caixa Econômica.

Já a Caixa Econômica Federal, em nota, afirmou "em respeito aos clientes e em defesa do interesse público, depois de esgotadas todas as possibilidades de negociação junto às entidades representativas, a Caixa Econômica Federal ajuizou, em 15 de outubro, no Tribunal Superior do Trabalho, o dissídio visando ao cumprimento da convenção coletiva acordada na Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e aguarda resultado da audiência de conciliação a ser realizada na quarta-feira (21)".

A nota dizia ainda que os benefícios oferecidos eram maiores do que aqueles que trabalhadores de outros bancos recebiam e que a Caixa Econômica alcançou o seu limite orçamentário, por isso não poderia melhorar a proposta.

Qual é a sua opinião sobre a greve dos bancários da Caixa Econômica Federal? Comente no espaço abaixo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.