i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
paralisação

Greve dos caminhoneiros perde força no país

No Paraná, bloqueios vão custar R$ 5 mil por hora por caminhoneiro, de acordo com liminar judicial. Última manifestação foi encerrada às 11h20, em Manoel Ribas

  • PorDa Redação
  • 11/11/2015 07:53
Policiais desmontaram o bloqueio na BR-376, em Apucarana, depois de 48 horas de interdição parcial | Polícia Rodoviária Federal
Policiais desmontaram o bloqueio na BR-376, em Apucarana, depois de 48 horas de interdição parcial| Foto: Polícia Rodoviária Federal

A decisão pela aplicação de multas aos caminhoneiros que promoverem bloqueios nas estradas brasileiras esvaziou a paralisação dos motoristas. Na esfera federal, a penalidade será aplicada por medida provisória e prevê multa de R$ 5.746 por dia de bloqueio. Já para organizadores de obstruções, a punição será de R$ 19.154. Em ambos os casos, a reincidência dobra o valor cobrado. E as multas têm que ser pagas no momento do licenciamento do veículo.

No Paraná, a liminar concedida pela juíza Ana Carolina Morozowski, da 3.ª Vara Federal de Curitiba, na noite desta terça (10), determina multa de R$ 5 mil por hora para o motorista que “ocupar, obstruir ou dificultar a passagem” de outros veículos.

Na manhã desta quarta-feira, 11, terceiro dia de greve, as manifestações se concentravam no Sul do país. Por volta das 9 horas, policiais rodoviários federais desmontaram o único bloqueio parcial em rodovias federais que ainda estava ativo no país, na BR-376, em Apucarana. Foram 48 horas de interdição parcial da estrada, a mais longa desde que a greve começou.

Ainda havia ponto de bloqueio na PR-466, km 145, em Manoel Ribas, com passagem liberada para carros de passeio, ambulância e ônibus. Mas a manifestação no local foi encerrada às 11h20, conforme o boletim de atualização da Polícia Rodoviária Estadual.

Na atualização das condições das rodovias, às 9 horas, o boletim da Polícia Rodoviária Federal informava sete pontos de manifestações no Rio Grande do Sul, sem interdição do trânsito, e um em Santa Catarina, com concentração de caminhoneiros no acostamento na BR-116, km 54, em Papanduva.

Outros quatro estados também registravam manifestações de caminhoneiros. Dois pontos em Minas Gerais, com interdição parcial apenas na BR-381, no km 369, dois no Mato Grosso, ambos com retenção de veículos de carga nos kms 170 e 50 da BR-158; um no Mato Grosso do Sul e dois no Tocantins, com bloqueio total na BR- 153, km 240 e parcial na BR-242, km 5.

Às 11 horas, em nova atualização dos pontos de manifestação, a PRF notificava 12 trechos com manifestações de grevistas. Minas Gerais e Santa Catarina foram desmobilizados, além de interdição total na BR- 153, no Tocantins. Na Bahia, na BR-20, km 195, manifestantes fecharam totalmente a rodovia.

No fim da tarde de terça-feira, 10, o boletim nacional da Polícia Rodoviária Federal (PRF) mostrava 24 pontos de manifestações no país, 15 deles com bloqueio parcial.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.