Rio – A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i) deverá prosseguir em trajetória de desaceleração no quarto trimestre, por causa da diminuição da pressão dos alimentos, segundo adiantou o economista André Braz, da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Ele argumentou que alguns produtos que pressionaram o índice no terceiro trimestre, como arroz, laticínios e óleo de soja, já começam a perder força de reajustes. Ele acredita apenas em "alguma pressão" dos alimentos in natura. A FGV divulgou ontem uma variação de 1,03% no IPC-3i do terceiro trimestre, ante 1,18% no segundo trimestre.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]