i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
pib

Investimentos caem 2,7% no trimestre e têm sequência negativa recorde

Tombo foi comandando por uma combinação de menor importação e produção de bens de capitais, além da queda do setor de construção civil

    • Folhapress Web
    • 01/06/2016 10:35
    Incertezas sobre o futuro levam empresários a adiar decisões de ampliar fábricas, comprar máquinas e modernizar. | Daniel Castellano/Gazeta do Povo
    Incertezas sobre o futuro levam empresários a adiar decisões de ampliar fábricas, comprar máquinas e modernizar.| Foto: Daniel Castellano/Gazeta do Povo

    Com o cenário político conturbado e sem perspectiva para a retomada da atividade econômica, os investimentos pesaram sobre o resultado da economia no primeiro trimestre, mostram dados divulgados pelo IBGE nesta quarta-feira (1º).

    Os investimentos recuaram 2,7% no primeiro trimestre frente ao três meses anteriores – o décimo trimestre consecutivo de queda nessa comparação, um recorde na série histórica da pesquisa do IBGE, iniciada em 1996.

    Quando comparando aos três primeiros meses do ano passado, a baixa deste primeiro trimestre foi de 17,5%, o pior resultado para o primeiro trimestre na série histórica da pesquisa do IBGE.

    Os investimentos são um dos componentes mais sensíveis ao ciclo econômico. Incertezas sobre o futuro (como câmbio, juros, inflação, demanda) levam empresários a adiar decisões de ampliar fábricas, comprar máquinas e modernizar.

    Desta forma, o tombo foi comandando por uma combinação de menor importação e produção de bens de capitais (máquinas e equipamentos para setores como indústria e agropecuária), além da queda do setor de construção civil.

    Fora a iniciativa privada, o governo e estatais federais também tiveram um papel decisivo para a queda dos investimentos. Trata-se neste caso dos efeitos do ajuste fiscal e dos cortes no plano de negócios da Petrobras.

    Os investimentos registram agora uma queda de 15,9% no acumulado de quatro trimestres (período de 12 meses).

    Já a taxa de investimento foi de 16,9% do PIB (Produto Interno Bruto) no terceiro trimestre deste ano.

    Retomada

    Um dos fatores importantes para a retomada dos investimentos é a volta da confiança dos empresários. Em março, o Índice de Confiança da Indústria medido pela FGV atingiu o nível mais alto desde março de 2015, mas o cenário segue de incertezas.

    O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, tem defendido nos últimos dias que as medidas de redução dos gastos públicos anunciadas pelo governo podem recuperar a confiança dos empresários e os investimentos.

    Segundo Zeina Latif, economista-chefe da XP Investimentos, a mudança de governo pode contribuir para melhorar as perspectivas, já que no governo Dilma havia “dificuldade para governar e ausência de agenda econômica”.

    Vale lembrar que o resultado do PIB do primeiro trimestre é anterior ao afastamento da presidente Dilma Rousseff, em 12 de maio deste ano.

    “Mas a discussão é que, mesmo que isso ajude, o empresário para investir precisa primeiro renegociar dívidas e pagar as contas. Empresas estão passando por uma séria crise financeira. Há também muita ociosidade a ser preenchida”, disse a economista.

    Para ela, os investimentos podem voltar a crescer em algum momento no próximo ano, mas o quadro ainda seria de muitas incertezas.

    “Se não houver sucesso do governo em trazer de volta a confiança, se houver boas intenções mas pouca medida concreta, se as pessoas começaram a questionar se o governo Temer vai até o final, podemos vamos ver outra pernada na economia”, disse.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.