i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Imposto

IOF pode ser revisto se economia continuar a crescer

  • PorAgência Estado
  • 25/09/2008 15:05

O novo secretário-adjunto da Receita Federal, Otacílio Cartaxo, avaliou nesta quinta-feira (25) que "é possível" uma redução do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) se a economia brasileira continuar crescendo. As alíquotas do IOF foram elevadas no início do ano para compensar a perda de arrecadação do governo com o fim da CPMF.

"É possível que ele (ministro Guido Mantega) venha a rever (as alíquotas)", disse o secretário, acrescentando que essa é uma decisão de política econômica que não diz respeito à Receita. "É da competência do ministro", disse.

De janeiro a agosto, a arrecadação do IOF já cresceu 151,72% acima da inflação medida pelo IPCA, com um aumento de R$ 8,1 bilhões sobre a arrecadação registrada no mesmo período do ano passado. Faltando ainda quatro meses para o fim do ano, o valor arrecadado a mais já está próximo ao previsto pelo governo de aumento das receitas este ano de R$ 8,5 bilhões com a elevação das alíquotas do IOF.

Questionado se o governo teria "pesado a mão" no valor das alíquotas, o secretário respondeu: "Você quer uma justificativa econômica que eu não posso dar." Dos R$ 8,1 bilhões arrecadados a mais com o IOF, R$ 3,262 bilhões são referentes a operações de crédito com pessoa física. Outros R$ 2,852 bilhões são referentes a operações com empresas.

O secretário também avaliou que é possível "sonhar" com uma redução da carga tributária do País. "Se a economia continuar crescendo, talvez seja possível", disse.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.