i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Empréstimos

Juro ao consumidor recua para nível mais baixo desde julho de 94

  • Por
  • 26/07/2006 17:17

Brasília – Os juros ao consumidor recuaram em junho e chegaram ao menor nível desde o início da série do Banco Central (BC), em julho de 1994. De acordo com dados do BC divulgados ontem, a taxa de juros cobrada nos empréstimos para a pessoa física ficou em 55,8% ao ano. Já a taxa para pessoas jurídicas, que caiu para 28,8% ao ano, ficou em seu menor nível desde agosto de 2004.

Os dados do BC mostram ainda que a taxa de juros média dos empréstimos com recursos livres chegou ao patamar de 43,2% ao ano no mês passado – patamar mais baixo desde março de 2001, quando estavam em 42% anuais.

Segundo o chefe do Departamento Econômico (Depec) do BC, Altamir Lopes, mesmo atingindo taxas mais baixas em muitos anos, o comportamento do volume do crédito em junho foi fraco, crescendo apenas 0,7% ante maio. Essa expansão, segundo ele, se deveu basicamente à incorporação de juros no estoque de financiamentos.

Lopes explicou que influenciaram negativamente o volume de crédito fatores como a queda nas concessões do cheque especial, que recuaram cerca de R$ 1,6 bilhão, a transferência de cerca de R$ 1 bilhão de créditos de baixa qualidade de uma instituição financeira para uma securitizadora – Lopes não informou o nome –, que retirou esses recursos do sistema financeiro, e a valorização cambial de 5,9%, que reduziu em 5,8% o volume de crédito externo, em reais.

Além disso, segundo o chefe do Depec, uma menor procura das grandes empresas por créditos bancários, devido a uma opção mais intensa de utilizar o mercado de capitais (captação de recursos), influencia negativamente o volume de crédito. Para Lopes, entretanto, a tendência é que o crédito cresça de forma mais intensa nos próximos meses por conta de fatores como o aumento da renda, as taxas de juros cada vez mais baixas e o crescimento da economia.

Financiamento

As grandes empresas estão se financiando menos pelo sistema bancário. De acordo com o BC, em março de 2006 a participação dos empréstimos de valores superiores a R$ 100 milhões ficou em 14,4% do total concedido pelos bancos, ante 15,1% em março de 2005. Também caiu, de 24% para 23,3%, a participação dos empréstimos de valores entre R$ 10 milhões e R$ 100 milhões.

Segundo Lopes, essa queda se deve ao fato de as grandes empresas estarem buscando modalidades alternativas de financiamento, sobretudo no mercado de capitais, como a emissão de debêntures.

Os dados do BC mostram que, na mesma comparação, os empréstimos de até R$ 100 mil aumentaram sua participação de 18,3% para 19,5% do total fornecido pelas instituições financeiras, enquanto a faixa entre R$ 100 mil e R$ 10 milhões oscilou de 42,7% para 42,8%.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.