i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
índices

Juros do cheque especial têm leve alta

A taxa média passou dos 8,78% fixados em dezembro para 8,79% neste mês

  • PorAgência Brasil
  • 18/01/2010 08:28

O uso do cheque especial ficou 0,01% mais caro, em janeiro. A taxa média passou dos 8,78% fixados em dezembro para 8,79% neste mês. O percentual é o mesmo verificado entre os meses de agosto e novembro de 2009. Os juros cobrados do empréstimo pessoal permanecem em 5,17% ao mês desde novembro de 2009.

Os dados constam da pesquisa do Procon de São Paulo, órgão da Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, no levantamento feito em dez bancos: do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Nossa Caixa, Real, Safra, Santander e Unibanco.

Segundo a pesquisa, a Caixa foi a única a elevar a taxa do cheque especial, passando a cobrar 6,75% ante 6,72%, em dezembro, com alta de 0,03 ponto percentual. Na comparação com janeiro de 2009, caíram tanto os juros do empréstimo pessoal (0,84 ponto percentual) quanto do cheque especial (0,46 ponto percentual).

Em nota, o Procon informou que esse cenário não deve mudar a curto prazo, como indicam as análises do Comitê de Política Monetária (Copom). Na última reunião do colegiado, realizada nos dias 8 e 9 de dezembro, o Copom decidiu manter em 8,75% a taxa básica de juros, a Selic, e "desenhou um cenário favorável para a inflação, afastando a possibilidade de alta a curto prazo". O comunicado destaca que, pelas projeções do mercado financeiro, alterações só devem ocorrer a partir do segundo semestre.

O Procon alerta que nessa época do ano o orçamento é sempre mais apertado por conta dos impostos, taxas, matrículas e despesas com material escolar, o que leva o consumidor a desequilibrar as finanças.

A recomendação do órgão é de que "se deve priorizar o pagamento de dívidas; procurar modalidades de crédito mais baratas e, se possível, usar o cheque especial somente em situações emergenciais e de curto prazo, já que é uma das formas de crédito mais caras do mercado".

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.