i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
carreira

LinkedIn passa a fornecer informações em tempo real para empresas e recrutadores

Dados com base nos mais de 575 milhões de usuários que antes só eram fornecidos por meio de relatórios, agora estarão disponíveis em uma ferramenta chamada Talent Insights

  • PorFabiane Ziolla Menezes
  • 02/10/2018 20:04
Nova ferramenta do LinkedIn quer ser crucial para a tomada de decisões de gestores. | Bigstock/
Nova ferramenta do LinkedIn quer ser crucial para a tomada de decisões de gestores.| Foto: Bigstock/

Com 575 milhões de usuários no mundo – 34 milhões no Brasil –, o LinkedIn lançou uma ferramenta que promete fornecer insights em tempo real para empresas e recrutadores. A ideia é que a ferramenta, batizada de Talent Insights, possa não só ser fonte de consulta sobre o mercado de trabalho, mas um instrumento crucial para a tomada de decisão estratégica de gestores e diretores.

Segundo o diretor geral da plataforma para a América Latina, Milton Beck, as informações reunidas pela ferramenta em tempo real e de maneira intuitiva são praticamente as mesmas que já eram fornecidas por meio de relatórios encomendados por empresas e recrutadores. Com uma base cada vez maior e mais robusta, no entanto, foi possível cruzar os perfis, cada vez mais completos, com as atividades realizadas por cada usuário na plataforma, usando técnicas de análise e programação de big data. O resultado é um painel abrangente e fácil de usar.

LEIA TAMBÉM: As quatro tendências que estão mudando o jeito de contratar no mundo

Pela ferramenta é possível procurar dados de duas formas: pelo tipo de talento (formação/função ou habilidade) ou por empresa.

Print da amostra da ferramenta distribuída à imprensa com instruções em inglês.

Reprodução

Do ponto de vista de um recrutador ou de um diretor de empresa, por exemplo, é possível buscar por “engenheiros eletricistas” e ver na tela informações como: quantas vagas deste tipo vêm sendo oferecidas; a demanda e a frequência de contratação dessa função no mercado; em que regiões do país e do mundo esses talentos estão mais concentrados e onde estão mais em falta; entre outros insights.

Também é possível busca por empresas na ferramenta. Nesse caso, aparecerão informações como o número de funcionários, de contratações, atração e retenção de talentos em determinado período, tempo médio dos talentos na empresa, entre outras informações.

Beck explica que a empresa ou recrutador que usar o Talent Insights poderá também entender melhor o seu próprio cenário, verificando quais as habilidades das pessoas que vem contratando e se essas habilidades atendem aos objetivos da empresa ou mesmo para qual concorrente está perdendo talentos.

LEIA TAMBÉM: O jeito de selecionar e contratar pessoas jamais será igual depois dessas startups

Embora as informações venham dos usuários, elas são anônimas, ou seja, são apresentadas dentro de um contexto, de um pacote, e não de forma individual, o que não fere a privacidade de quem usa o LinkedIn. Empresas com menos de 30 funcionários não entram na ferramenta.

A lógica por trás da criação da ferramenta é a mesma que vem impulsionando o crescimento das HRTechs, as startups de recursos humanos: se no mundo corporativo atual é preciso testar produtos, errar e mudar de estratégia de forma cada vez mais rápida, também é preciso contar com a mão de obra necessária para isso de maneira mais ágil.

O acesso à ferramenta custa, em média, US$ 25 mil anuais (ou R$ . Segundo Beck, o LinkedIn tem cerca de 3 mil empresas brasileiras que já usam os serviços corporativos da plataforma, como gestão de marca e solução de talentos, e que também devem demonstrar interesse pela nova ferramenta.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.