O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na abertura da reunião de cúpula do Mercosul, fez um discurso eminentemente político e destacou que a integração regional está além de questões ideológicas. Lula deu as boas-vindas aos "irmãos bolivianos (a Bolívia solicitou o ingresso no Mercosul) e disse que o bloco está aberto a quem mais quiser participar. O presidente destacou medidas que foram aprovadas durante o encontro no Rio, como o projeto do fundo de convergência, que financiará iniciativas dos sócios menores do bloco. Por enquanto, são cinco empreendimentos para o Paraguai e três, para o Uruguai.

- Nunca existiu um clima político tão favorável à nossa integração - afirmou o presidente.

Segundo o presidente, os valores compartilhados pelos sócios do Mercosul incluem o respeito à democracia e ao estado de direito. Lula lembrou ainda que, em 1990, às vesperas da criação do Mercosul, o volume de comércio entre os atuais países membros era de US$ 4 bilhões. Em 2006, esse montante chegou a US$ 30 bilhões.

Sentado entre o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, e o governador, Sérgio Cabral, Lula terminou seu discurso pedindo para que seus colegas presidentes se limitassem a falar por 13 minutos, o tempo de seu discurso. O presidente venezuelano, Hugo Chávez, é conhecido por seus longos discursos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]