i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Discurso

Lula: se preço do gás boliviano subir, Petrobras absorverá aumento

  • PorReuters/GloboNews TV/Globo Online
  • 05/05/2006 12:16

Se houver reajuste do gás boliviano importado pelo Brasil, a Petrobras deverá absorver esse aumento, informou na sexta-feira o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A declaração de Lula, em um discurso em Minas Gerais, ocorre um dia depois de o presidente ter dito que iria negociar os valores do combustível com a Bolívia, em uma atitude interpretada como um esvaziamento da ameaça da Petrobras.

Na quarta-feira, o presidente da estatal brasileira, José Sérgio Gabrielli, garantiu que não aceitaria reajustes propostos pela Bolívia. Nesta sexta-feira, no entanto, antes da nova declaração de Lula, Gabrielli, negou que houvesse divergências entre o governo e a estatal.

- Eu não tenho dúvida nenhuma de que o gás não vai aumentar e, se aumentar, o aumento ficará para a Petrobras e não para o consumidor - disse Lula em discurso durante inauguração da usina hidrelétrica Eliezer Batista.

O presidente também afirmou que a nacionalização das intalações petrolíferas na Bolívia não pegou o Brasil de surpresa. Entretanto, Lula informou ter dito ao presidente boliviano, Evo Morales, que não havia necessidade de os militares do país ocuparem as instalações da estatal brasileira.

- Não precisa o Exército cercar a Petrobras porque nós temos endereço fixo, temos residência fixa - disse Lula.

Sobre sua condução das negociações para pôr fim ao impasse com o presidente boliviano Evo Morales, Lula respondeu a seus críticos:

- Tem gente que acha que ser duro resolve o problema. Às vezes, acho que ser carinhoso resolve melhor. A Bolívia é um país pobre, que quer tirar seu sustento do gás. Somos um país rico perto da Bolívia.

Em defesa da nacionalização empreendida por Morales, Lula disse que a prática já foi adotada em países como Chile, Argentina, Peru, México, Irã, Iraque, Líbia e também no Brasil, com Getúlio e o governador Brizola. No pronunciamento, o presidente brasileiro também afirmou:

- Precisamos ter consciência de que a Bolívia vai cumprir os seus contratos com o Brasil.

Ainda no discurso, Lula defendeu o projeto de construção do gasoduto da América do Sul (que liga a Venezuela à Argentina, passando pelo Brasil) e comparou a obra com a da Muralha da China.

Na semana que vem, uma comissão brasileira vai à Bolívia para iniciar as negociações.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.