i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
BOLETIM FOCUS

Mercado reduz queda do PIB para 3,6% neste ano e volta a elevar inflação

As revisões ocorrem após o governo do presidente interino, Michel Temer, ter conseguido aprovar, na semana passada, projeto que flexibiliza gastos da União

    • Folhapress Web
    • 13/06/2016 10:55

    A pesquisa semanal do Banco Central com economistas e instituições financeiras voltou a reduzir a previsão de queda da atividade econômica neste ano e a elevar a projeção para a inflação, de acordo com dados divulgados nesta segunda-feira (13).

    Para 2016, a perspectiva para a queda do PIB (Produto Interno Bruto) foi reduzida de 3,71% no boletim Focus anterior para 3,60% nesta sondagem. Há quatro semanas, a retração projetada era de 3,88%.

    Já em 2017 a previsão de crescimento foi elevada e passou de 0,85% para 1%. Quatro semanas antes, a expansão estimada era de 0,50%.

    As revisões ocorrem após o governo do presidente interino, Michel Temer, ter conseguido aprovar, na semana passada, projeto que flexibiliza gastos da União.

    A proposta de emenda à Constituição amplia a aplicação livre de 30% de todos os tributos federais vinculados a determinado órgão, fundo ou despesa. Esse percentual era de 20% até 2015. A PEC estende ainda a DRU a Estados e a municípios.

    Preços

    O Boletim Focus também mostrou inflação mais pressionada neste ano. A estimativa subiu de 7,12% na semana passada para 7,19% nesta sondagem. Para 2017, a projeção para o IPCA (índice oficial de preços) se manteve em 5,50%, abaixo da meta estabelecida pelo CMN (Conselho Monetário Nacional) para 2017, que é de 4,5% com 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

    Dados divulgados na semana passada voltaram a sinalizar que a inflação continua acelerando. O IPCA de maio foi de 0,78%, enquanto em 12 meses a taxa avançou para 9,32%, acima dos 9,28% do acumulado até o mês anterior.

    Por causa do avanço da inflação, o Comitê de Política Monetária do Banco Central optou por manter a taxa básica de juros (Selic) em 14,25% ao ano na reunião encerrada na quarta-feira passada (8).

    A reunião foi a última de Alexandre Tombini no comando do BC. Ele será substituído no cargo pelo economista Ilan Goldfajn, que foi aprovado na terça-feira (7) pelo Senado.

    Com a inflação demorando a ceder, os economistas consultados pelo BC elevaram a projeção para a Selic no fim deste ano. A projeção passou de 12,88% para 13%. Para 2017, foi mantida em 11,25%.

    A estimativa para o dólar no fim deste ano foi reduzida novamente, passando de R$ 3,68 para R$ 3,65. Para o próximo ano a previsão caiu de R$ 3,85 para R$ 3,81.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.