Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

O emprego na indústria caiu 0,1% em agosto em relação ao mês anterior, já descontadas as variações sazonais, segundo a Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salários (Pimes), divulgada nesta sexta-feira pelo IBGE. Em comparação à agosto de 2005, houve um avanço do número de empregos em 0,2%, mas no acumulado deste ano e dos últimos 12 meses recuou 0,4%.

Por outro lado, o número de horas pagas ante julho de 2006 subiu 0,3%, com ajuste sazonal, e 0,1% em relação a agosto de 2005. No acumulado do ano, houve queda na horas pagas pela indústria de 0,1% e, nos últimos 12 meses, recuo de 0,2%.

Em relação ao emprego, os setores que tiveram maior influencia positiva na média nacional do nível de emprego, em comparação com agosto de 2005, foram o de Alimentos e Bebidas (+6,6%), Refino de Petróleo e Produção de Álcool (+16,4%) e Máquinas, Aparelhos Eletroeletrônicos e de Comunicações (3,5%).

Já os setores que registraram as maiores influências negativas foram Calçados e Artigos de Couro (-12,3%), Vestuário (-7,7%) e Máquinas e Equipamentos (-4,3%). As áreas que exerceram as maiores pressões negativas no nível de emprego foram Rio Grande do Sul (-7,7%) e Paraná (-1,7%).Massa salarial subiu em agosto

O valor real da folha de pagamento da indústria avançou 1,1% em agosto, revertendo a queda observada em julho. Na comparação com igual período do ano passado, a alta é de 0,8%. No ano, a folha acumula avanço de 0,7% e, em 12 meses, de 1,2%. "No total do país, sete das 18 atividades pesquisadas ampliaram a massa salarial", acrescentou o IBGE.

As principais contribuições positivas vieram de Produtos químicos e Máquinas, Aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações.

Leia mais: O Globo Online

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]