i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Infográfico

As maiores inovações que o iPhone trouxe na última década

Frequentemente acusada de não “inovar”, a Apple consegue, à sua maneira, transformar tecnologias em padrões da indústria

  • PorRodrigo Ghedin
  • 11/09/2017 07:46
iPhone 7 Plus | Kārlis Dambrāns/Flickr
iPhone 7 Plus| Foto: Kārlis Dambrāns/Flickr

O smartphone é um objeto facilmente reconhecível: trata-se de um pequeno retângulo com uma tela em um dos lados e câmera(s) no outro. A ideia de inovar em cima de um formato tão consolidado não é simples — o reflexo dessa dificuldade se vê nas reações após os anúncios de grandes lançamentos. Com raras exceções, a expectativa por "inovação" nunca é alcançada. “A Apple não é mais a mesma”, lê-se bastante após anúncios de novos iPhone. Será?

SIGA: @gpnovaeco no Twitter para saber tudo do novo iPhone

Amanhã (12), quando a Apple anunciar a mudança mais radical na história do iPhone, é bem provável que comentários do tipo apareçam em sites especializados e redes sociais. Alguns, justificáveis; afinal, a tela sem bordas já é uma realidade em aparelhos rivais como o Galaxy S8 e o LG G6. Outros, como o reconhecimento facial, têm o potencial de redirecionar os rumos da indústria.

LEIA: O que esperar do novo iPhone X

"Mas isso já existe!", alguns leitores disseram em resposta à matéria publicada na última quarta-feira, a respeito da biometria facial. Sim, porém ela existe da mesma forma que tablets existiam antes do iPad e sensores de impressões digitais eram encontrados em alguns notebooks e até celulares antes do iPhone 5s. Ou as telas sensíveis a toques anteriores ao iPhone original. Em outras palavras, existiam, mas não eram tecnologias maduras ou bem executadas o suficiente para serem usadas.

O grande mérito da Apple nessa última década desde que o iPhone apareceu foi transformar tecnologias confusas e desengonçadas em recursos úteis, que as pessoas realmente usam e incorporam no dia a dia. Embora não tenham sido recursos inéditos, a Apple foi pioneira na (boa) execução. Ser o primeiro não costuma trazer vantagem competitiva se a investida não é bem feita.

Além disso, algumas inovações parecem subestimadas. A App Store, de 2008, e a Siri, de 2011, criaram padrões na indústria. O próprio TouchID, sistema biométrico de impressões digitais, se disseminou no universo Android e hoje aparece até em aparelhos de entrada.

Ainda não se sabe o que o novo iPhone, supostamente chamado iPhone X, trará de novidade significativa, que recurso exclusivo será absorvido pelas fabricantes rivais e aparecerá em todos os grandes lançamentos de 2018. Em poucos anos algo assim não aconteceu — no iPhone 6, de 2014, por exemplo. Até descobrirmos qual será o deste ano, amanhã, veja um histórico de inovações do iPhone ao longo do tempo:

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.