Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Aplicativo da Nuconta | Nubank/Divulgação
Aplicativo da Nuconta| Foto: Nubank/Divulgação

Em evento realizado na cidade de São Paulo que contou com a presença de fãs da marca e transmissão ao vivo via Internet, David Vélez, CEO do Nubank, anunciou hoje (24) a NuConta, o serviço de conta digital da fintech. A novidade era esperada pelo mercado e marca um novo momento para a fintech, até então sinônimo de cartão de crédito sem anuidade.

Vélez disse que o Nubank, com a novidade anunciada hoje, pretende resolver três problemas financeiros dos brasileiros: trazer 100% dos brasileiros à formalidade; realizar transferências sem tarifas e em tempo real; e remover completamente a complexidade do mercado de investimentos para que os clientes consigam tomar decisões acertadas.

Toda a experiência será digital, inclusive a abertura da conta. A NuConta dispensa análise de crédito e não tem tarifas. Todo o processo de abertura é feito pelo celular, da mesma forma que o pedido do cartão de crédito. Outra vantagem informada é que assim que algum dinheiro entrar na conta, ele será aplicado automaticamente com rendimentos superiores à poupança e CDB; segundo o Nubank, “a rentabilidade é muito próxima à taxa Selic”.

Como esperado, os clientes do cartão de crédito do Nubank poderão pagar a fatura do cartão direto do celular, sem precisar gerar boletos como acontece hoje. Transferências entre contas serão feitas pelo próprio celular, com o auxílio de um código QR. O Nubank enfatiza a facilidade e rapidez das transações. Elas não têm custo, são ilimitadas e, entre contas do Nubank, são processadas em tempo real.

Interessados podem se cadastrar na lista de espera da NuConta neste endereço: nubank.com.br/nuconta. Na primeira fase, apenas alguns clientes serão aceitos para o que o Nubank chama de “fase beta”. A expansão para uma parte maior da base deve ocorrer nos próximos meses.

2,5 milhões de clientes

Vélez iniciou a apresentação relembrando o início da operação do Nubank: “Há três anos, quando lançamos o cartão de crédito do Nubank, queríamos iniciar uma revolução”. A motivação para lançar a fintech, ainda segundo ele, foi a revolta por pagarmos (brasileiros) taxas altíssimas em troca de serviços ruins, os “piores do mundo”, “com uma burocracia sem fim”. 

Contra a ameaça dos bancos tradicionais, Vélez disse que tinha a crença de que era possível fazer diferença com tecnologia, data science e atendimento humano. Em três anos, o Nubank recebeu 13 milhões de pedidos por cartões que se transformaram em 2,5 milhões de clientes. Foi a primeira vez que o Nubank divulgou o tamanho da sua base de clientes.

“Com o cartão de crédito, só conseguimos tocar em uma pequena porcentagem da vida dos brasileiros, e ainda vemos muitos problemas a serem resolvidos no setor financeiro”, disse o CEO do Nubank. Ele informou que 60 milhões de brasileiros, ou aproximadamente 30% da população, ainda estão desbancarizados, ou seja, não têm conta em banco. A NuConta é a maior aposta da fintech, que tem apenas três anos de mercado.

Atualizada às 11h10 com novas informações.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]