i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Combustível

Nova Lei do Gás: Senado exige garantia de demanda, cria impasse no governo e emperra votação

  • Brasília
  • 21/10/2020 12:34
  • Atualizado em 22/10/2020 às 16:16
Senadores Fernando Bezerra e Eduardo Braga (em pé): eles defendem usinas térmicas para aprovar nova lei do gás natural
Senadores Fernando Bezerra e Eduardo Braga (em pé): eles defendem usinas térmicas para aprovar nova lei do gás natural| Foto: Pedro França/Agência Senado
Apuração em andamento
Este conteúdo é sobre um fato que ainda está sendo apurado pela redação. Logo teremos mais informações.

A cúpula do Senado avisou ao governo que só aprovará a nova lei do gás natural caso haja o compromisso de garantir demanda, através da contratação do combustível pelas usinas térmicas. O objetivo é assegurar a expansão de rede de gás natural para o interior do Brasil, em especial nas regiões Norte e Nordeste. Atualmente, a malha de gasodutos no país é pequena (9,4 mil km) e praticamente restrita à costa, mais próxima das plataformas de extração de petróleo e gás.

A exigência fez com que a votação do projeto de lei, antes prevista para quinta-feira (22), ficasse para uma data indefinida.

Segundo apurou a Gazeta do Povo, o Ministério de Minas e Energia, o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), e o futuro relator do projeto, senador Eduardo Braga (MDB-AM), concordaram com a exigência e propuseram a edição de um decreto para garantir o uso das térmicas inflexíveis, aquelas que têm toda a energia comercializada por contratos bilaterais. O objetivo do decreto é evitar que os senadores façam alterações no projeto em si – com isso, o texto não precisaria voltar para a Câmara e iria logo para a sanção presidencial.

O Ministério da Economia é contra a edição do decreto. Técnicos da pasta consideram que o projeto por si só atrairá empresas para expandir a malha de gasodutos no país, sem a necessidade de garantir demanda via térmicas. Eles afirmam que obrigar usinas termelétricas a contratar o combustível, para expandir a malha de gasodutos no interior, configuraria subsídio cruzado e poderia encarecer a energia elétrica.

Em nota obtida pela Gazeta do Povo, a Secretaria de Advocacia da Concorrência e Competitividade (Seae) do Ministério da Economia reforça seu posicionamento contrário a “emendas que incluam subsídios cruzados, intervenção estatal no novo arranjo de tomada de decisão dos investimentos, formação de câmaras compensatórias, trazendo custos adicionais aos usuários”.

Caso o Ministério de Minas e Energia não chegue a um acordo com o da Economia, a cúpula do Senado avisou que vai aprovar o projeto com uma emenda de plenário prevendo a garantia de demanda via usinas térmicas. Assim, o projeto teria de retornar para a Câmara e provavelmente só seria apreciado a partir de março do ano que vem, já que o Congresso entrará em recesso e na volta, em fevereiro de 2021, deve concentrar atenção nas eleições para a presidência das Casas do Legislativo.

Em nota, o Ministério de Minas e Energia nega divergências com a equipe econômica sobre o projeto e a expansão da oferta de energia elétrica no país. "Defende-se a aprovação do texto do PL 4476/2020 no Senado Federal da forma com aprovado na Câmara dos Deputados, o que contribuirá para o desenvolvimento de um mercado de gás aberto, dinâmico e competitivo, proporcionando investimentos, renda e emprego para a população brasileira", diz a pasta.

A reportagem questionou se o MME é a favor ou não do decreto de estímulo à demanda via térmicas, e aguarda retorno.

Indústria versus distribuidoras

A indústria está do lado do Ministério da Economia no impasse sobre as térmicas. A Confederação Nacional da Indústria (CNI) defende que o projeto seja aprovado na íntegra, sem modificações, da forma que saiu da Câmara. A confederação diz, em nota, que a proposta de interiorização do gás natural via garantia de demanda a partir de usinas térmicas é incongruente e acabaria sendo financiada pelos consumidores.

“Esta [proposta] é igualmente incongruente não apenas com o planejamento do setor elétrico, cuja expansão vem se dando com base em investimentos privados não subsidiados, direcionados para o mercado livre ou regulado, mas também por ser inconsistente com o objetivo de reduzir o custo de energia para a população, e dessa forma ampliando o nível de bem estar das famílias e a competitividade das empresas”, diz a CNI.

O MME e os senadores contam com o apoio das distribuidoras de gás, representadas pela Abegás. A associação diz que a inclusão das térmicas “poderá representar grande avanço para a implementação de um novo mercado de gás”. “Com gás nacional novo, os estados irão ganhar royalties e os municípios ganham um novo horizonte de desenvolvimento.”

A Associação Brasileira de Agências de Regulação (Abar) também quer mudanças na lei do gás. Ela afirma que o projeto retira as competências privativas dos estados para regulamentar a comercialização e os dutos de distribuição e passa essas competências para a União, via Agência Nacional do Petróleo (ANP), o que poderia ser inconstitucional.

Já o Ministério da Economia diz que o projeto não fere a Constituição. "O texto da Constituição (art. 25) estabelece como de monopólio estadual os serviços locais de gás canalizado. Por sua vez, o PL 4476/2020 deixa clara a delimitação entre as competências federal e estadual no setor de gás natural. Salientamos que  as avaliações que permearam a construção do texto do PL levaram em conta os limites de competência de cada ente federativo, sendo conduzida com o devido zelo para não extrapolar tais limites", diz a pasta em nota.

Votação emperrada

O projeto da nova lei do gás foi aprovado na Câmara no começo de setembro e até agora não tramitou no Senado. Por causa da pandemia, os textos podem ser levados para votação direto em plenário, sem passar pelas comissões, que não estão funcionando (salvo exceções, como sabatinas).

O governo faz uma ofensiva para que o texto seja votado ainda neste ano, sem modificações, para que possa ir para sanção do presidente Jair Bolsonaro. O projeto faz parte da série de marcos regulatórios que o Executivo quer aprovar para atrair mais investimento privado em infraestrutura. Dos marcos, o único que foi aprovado pelas duas Casas e que já está em vigor é o do saneamento.

15 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 15 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • F

    Fabiano

    ± 24 horas

    Novamente o senado contra o povo, garantir uma demanda de consumo para empresas é subsídio e é contra a livre concorrência!! ISSO SE CHAMA LOBBY em favor das empresas distribuidora e contra a população em ter fornecedor que prima pela qualidade e preço justo!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • Z

    Zyss

    ± 1 dias

    Cadê a lei pra reduzir o mandato desses lixos pra 4 anos? Demorou já

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • M

      Márcia dos Reis Schmidt

      ± 22 horas

      Mais importante seria redistribuir o número de senadores para no máximo 9 por região. Hoje o nordeste tem mais senadores do que sul e sudeste somados.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    anderson

    ± 2 dias

    Os senadores não perdem uma oportunidade de sabotar o desenvolvimento do Brasil.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • T

    Tarso

    ± 2 dias

    Não caiam nessa furada de garantia de demanda. Qualquer ventinho contra e vai sobrar pro povo cobrir a conta.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • V

    Vinicius Montgomery de Miranda

    ± 2 dias

    Com esses políticos covardes que ficam de mimimi por causa da pobreza que eles mesmos causam, o Brasil não tem a mínima condição de dar certo. Esse país bem que poderia ser dividido em 4 países menores que seriam mais ágeis e livres da eterna bancada do atraso.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Arno Winter

    ± 2 dias

    João M Donizete, verdade ! Covardes não enfrentam o STF, que são os únicos que podem. Mas, como é contra Bolsonaro, que em resumo, é contra o povo, fazem e desfazem como seres superiores que (pensam que ) são .

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    Eden Lopes Feldman

    ± 2 dias

    Resumindo, mais uma posição absurda do congresso.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    F.Neto

    ± 2 dias

    Parece o problema do ovo e a galinha. Sem as térmicas como âncora acho difícil cair o preço do gás. E se o preço do gás não cair, não tem térmicas nem gasodutos novos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • O

      orazio martini

      ± 2 dias

      Há dificuldades que só existem no Brasil. Deve ser a inteligência "galinhacea" dos eleitores...

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • B

    BENJAMIN GONZALEZ MARTIN

    ± 2 dias

    Espero en 2022 que o povo vote em senadores liberais conservadores e honestos. Vai ser difícil encontrar mas a esperança é a última que morre.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    2 Respostas
    • P

      Plinio

      ± 0 minutos

      O povão quer imediatismo.Comprar o ovo e óleo para comer o almoço.Os políticos sabem disso ,daí não terem projeto a longo prazo para manterem a massa debaixo da sola dos sapatos.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • N

      Nm

      ± 2 dias

      Brincadeira! tem gente contra o comentário do Benjamim... votar em senadores melhores que esses bandidos que lá estão. 28 senadores respondem a processo na Jushstiça

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    João Martins Donizete

    ± 2 dias

    Em síntese: Apesar da recente "renovação" do senado a mediocridade continua a mesma. Basta ver que processos de impeachment e da comissão de ética não funciona. E para emperrar projetos eles são bons.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]