Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Diretor da Nunesfarma, Fernando César Silva, em frente ao centro de pesquisa e inovação da empresa. | Jonathan Campos/Gazeta do Povo
Diretor da Nunesfarma, Fernando César Silva, em frente ao centro de pesquisa e inovação da empresa.| Foto: Jonathan Campos/Gazeta do Povo

Com a queda nos repasses do governo federal para a saúde pública, a taxa de inadimplência dos clientes da Nunesfarma – que desde 1980 distribui medicamentos para órgãos governamentais – triplicou em 2015. Alguns contratos tiveram que ser suspensos e a empresa curitibana teve que tomar crédito para pagar fornecedores.

“Enfrentamos uma crise parecida com a da época do plano pré-real, em que faltavam medicamentos nas prateleiras”, afirma o diretor da empresa, Fernando César Silva.

O resultado foi uma queda de 30% no faturamento da distribuidora de medicamentos, que só começou este ano mais confiante por causa de uma estratégia desenhada em 2014: entrar no segmento de varejo.

Prevendo que setor público seria gravemente afetado pela crise econômica, a Nunesfarma decidiu apostar na venda direta para o consumidor final para diversificar as suas fontes de receita.

A escolha também foi embasada em pesquisas do setor farmacêutico.

Este é o período de grande boom para medicamentos de fora do balcão e isentos de prescrição.”

Fernando César SilvaDiretor da Nunesfarma
Planejamento

A preparação para entrar no varejo começou há dois anos, com mudanças nas embalagens dos medicamentos e solicitações de autorizações para a Anvisa. Com essas etapas finalizadas, a empresa está pronta para comercializar seis produtos em nove diferentes embalagens para farmácias de todo o país.

Peppa Pig

Para se diferenciar dos concorrentes, a grande aposta é o suplemento vitamínico da personagem Peppa Pig, famosa porquinha cor de rosa que é febre entre crianças de todo o mundo. Depois de um ano de negociação com a Inglaterra, a empresa curitibana conquistou o primeiro licenciamento da personagem para um medicamento no Brasil.

Todos os produtos são da linha Nesh, soluções em suplementação vitamínicas e mineral criadas pelo laboratório da Nunesfarma. A linha já está presente na saúde pública e, para entrar no varejo, sofreu alterações somente nas embalagens e no design.

Os medicamentos continuam sendo produzidos em fábricas no Brasil e na Índia.

A expectativa do diretor da Nunesfarma é que os produtos estejam disponíveis para o consumidor final em todos os estados brasileiros até o fim de 2 016. As negociações com distribuidores e redes varejistas já começaram e a empresa contratou uma equipe específica para cuidar da comercialização.

Silva acredita que a estratégia deve refletir em uma melhora no faturamento da companhia a partir de 2017 e, no ano seguinte, 50% da receita deve vir do segmento de varejo.

50%

da receita da Nunesfarma deve vir do segmento de varejo a partir de 2018, segundo projeções o diretor da empresa, Fernando César Silva.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]