Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Os três "bikers-entregadores" da EcoBike Courier atendem um raio de 15 quilômetros em torno do Centro de Curitiba. Mas, em seis meses, a empresa espera cobrir todos os bairros | Jonathan Campos/ Gazeta do Povo
Os três "bikers-entregadores" da EcoBike Courier atendem um raio de 15 quilômetros em torno do Centro de Curitiba. Mas, em seis meses, a empresa espera cobrir todos os bairros| Foto: Jonathan Campos/ Gazeta do Povo

Que ela é um meio de transporte saudável, ecologicamente correto e sustentável, até quem não pedala já sabe. O que alguns empreendedores estão descobrindo agora é que a bicicleta também pode ser a origem de um bom negócio.Em Curitiba, além das tradicionais bicicletarias e lojas de artigos esportivos, começam a surgir iniciativas empresariais como o serviço de entrega expressa com bikeboys, aluguel de bicicletas, agência de cicloturismo e até o personal biker – profissional que ensina ciclistas iniciantes a "sobreviver" nos deslocamentos pela cidade.

Há cerca de um mês o empresário Cristian Trentin montou, junto com um sócio, a EcoBike Courier, que faz entregas exclusivamente com o uso de bicicletas. "O serviço de courier é comum na Europa. Na região central, a bicicleta é muito mais rápida do que a moto ou o carro, pois não fica presa no fluxo", compara o empresário, que vendeu o carro e agora vai ao escritório pedalando.

A empresa funciona no Centro e tem três "bikers-entregadores", que atendem um raio de até 15 quilômetros, compreendendo 34 bairros da capital. "Dentro de seis meses queremos ter 12 funcionários contratados e cinco bases operacionais em Curitiba, cobrindo 100% dos bairros", revela Trentin.

O projeto é pedalar ainda mais longe. O empresário diz estar desenvolvendo um sistema de microfranquias que pode levar a EcoBike a qualquer cidade do país. O investimento para abrir uma franquia da marca, segundo ele, será de R$ 40 mil, incluindo a compra das bicicletas, ponto comercial e capital de giro, e deve estar disponível para investidores até dezembro.

A Roda Livre Bikers aposta no cicloturismo e organiza pacotes com passeios por estradas rurais no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo. Além dos passeios, que variam de 30 a 110 quilômetros, a empresa garante a logística de apoio, assistência mecânica, alimentação, hospedagem e seguro de vida, conta o empresário Marcos Antônio Garibotti, ex-ciclista profissional e professor de educação física.

Passeio guiado

Outra empresa que tem o pedal no plano de negócios é a Kuritbike, que oferece o serviço de passeios guiados de bicicleta por parques e pontos turísticos de Curitiba. Os pacotes têm duração mínima de três horas e máxima de cinco, e custam de R$ 50 a R$ 70 por pessoa.

Comandada pelo empresário Gustavo Carvalho, a Kuritbike também presta o serviço de personal biker. "Vendemos um pacote de consultoria que envolve o planejamento de rotas seguras de acordo com a demanda de cada um. Mapeamos o melhor trajeto e acompanhamos o ciclista nas três primeiras viagens, além de oferecer treinamento, dicas de segurança, uso de equipamentos", explica.

Recentemente, Carvalho comprou 15 bicicletas para implantar o serviço de aluguel, muito procurado por casais que querem pedalar juntos para conhecer a cidade. O usuário pode escolher pacotes de uma hora (R$ 8), cinco horas (R$ 30) ou diário (R$ 50).

Leia o relato de quem usa a bicicleta como meio de transporte no blog Ir e Vir de Bike, do jornalista Alexandre Costa Nascimento, em http://www.gazetadopovo.com.br/blog/irevirdebike

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]