i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Riscos crescentes

Para ministro espanhol, "estagnação" deixa zona do euro em "encruzilhada"

Para espanhol, o crescimento "praticamente nulo" da zona do euro situa a região em um momento difícil

  • PorEFE
  • 11/10/2014 15:03

O ministro de Economia e Competitividade da Espanha, Luis de Guindos, ressaltou a "surpresa positiva" da economia de seu país, que vem recuperando força após um duro momento durante a crise, mas reconheceu que a "estagnação" da zona do euro deixa a união monetária em "uma encruzilhada" econômica.

"Evidentemente, houve uma estagnação na zona do euro, a economia do euro entrou em ponto morto no segundo trimestre", declarou De Guindos em entrevista coletiva em Washington após sua participação na assembleia anual do Fundo Monetário Internacional (FMI).

O ministro destacou que, apesar da revisão em alta das previsões para a Espanha, de 1,3% em 2014 e 1,7% em 2015, que foi uma das "surpresas positivas" do encontro, o crescimento "praticamente nulo" da zona do euro situa a região em um momento difícil.

"A Espanha não é imune ao que ocorre em nosso entorno, e a zona do euro é nosso entorno. Apesar disso, fomos capazes de crescer a 0,6% no segundo trimestre", explicou à imprensa.

No entanto, ele afirmou que, "sem dúvida, seria muito melhor para a economia espanhola, que é uma economia aberta, que a zona do euro cresça", algo que considerou como um "elemento vital".

"Espero que a Europa não entre em uma terceira recessão", disse.

As últimas previsões do Fundo rebaixaram o crescimento na zona do euro a 0,8% neste ano e 1,3% no próximo, como consequência da redução forte do ritmo de economias como Itália (-0,2%) e França (0,4%), e o enfraquecimento da Alemanha (1,4%).

Diante desse contexto, De Guindos ressaltou: "daqui ao final do ano, temos que fazer uma reflexão sobre o que está ocorrendo na Europa com o crescimento e a estratégia econômica" na zona do euro.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.