Além de negócios, bons contatos

No Paraná Business Collection, tão importante quanto fechar bons negócios é fortalecer a rede de contatos. "O showroom cria canais de relacionamento entre pequenas empresas e grandes grifes, lojistas e representantes", afirma o superintendente do Sebrae-PR, Allan Marcelo de Campos Costa. Scharlles Huizoni, sócio da marca All Purpose – que participa desde a primeira edição – conta que os contatos foram fundamentais para o crescimento de 30% do volume de vendas no ano passado. "Chegamos a fechar alguns pedidos lá mesmo. Depois, os contatos se transformaram em negócios." Segundo o Sebrae-PR, são esperados 10 mil visitantes durante os cinco dias. (FA)

Consolidar o estado como um produtor de moda – e não apenas de roupas – é um dos objetivos do 3º Paraná Business Collection (PBC), promovido pelo Conselho Setorial da Indústria do Vestuário da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e pelo Sebrae-PR. O evento, que começa amanhã e vai até a sexta-feira, reunirá desfiles de lançamento de moda e showroom de negócios, envolvendo cerca de 30 marcas paranaenses e compradores de todo o país.

"O Paraná já produz vestuário de qualidade há muito tempo. O que precisamos agora é agregar valor, produzir moda", diz o diretor-superintendente do Sebrae-PR, Allan Marcelo de Campos Costa. Para o presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção, Aguinaldo Diniz Filho, investir em design e no fortalecimento de marcas é fundamental para contornar os efeitos negativos da crise, que no primeiro semestre deste ano impôs ao setor de vestuário queda de 4,33% no Índice de Volume de Vendas, segundo dados do IBGE.

"Investir em moda, design e tendências cria um valor maior às mercadorias, gerando mais riqueza e empregos", justifica. Segundo a Abit, o Paraná é o quarto maior fabricante de têxteis e confecções do país, com participação de 8,74% na produção nacional. O setor engloba 5,4 mil empresas e é o segundo maior empregador industrial do estado, com 89 mil funcionários.

Showroom

Evaldo Pires Corrêa, coordenador estadual de projetos de vestuário do Sebrae-PR, afirma que, apesar de o número de participantes do showroom ser menor do que no ano passado – 25 marcas, contra 36 em 2008 – esperam-se melhores negócios, principalmente em razão da antecipação do evento, de julho para junho. "Com a antecipação, vêm as empresas que estão mais preparadas e que trabalham com planejamento. Além disso, a maioria dos compradores terá no evento o primeiro contato com a coleção primavera/verão 2010."

Os organizadores não têm uma projeção de vendas, mas apostam que o evento terá um volume maior de negócios do que nos anos anteriores. "A primeira edição movimentou R$ 2,5 milhões e a segunda, R$ 4,5 milhões. Neste ano, esperamos um valor ainda maior", avalia Adilson Filipaki, vice-coordenador do conselho setorial. Ele, contudo, diz que, mais importante que o volume de negócios é a consolidação do Paraná Business Collection no calendário da moda nacional. "Daqui a três anos queremos estar no mesmo nível da São Paulo Fashion Week."

Serviço

Para saber mais sobre o evento leia amanhã o suplemento especial Paraná Business Collection e acesse o blog Eu visto o Paraná, no www.gazetadopovo.com.br/euvisto.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]