i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Impostos

Pequeno varejo teme aumento nos custos

  • Por
  • 22/11/2008 21:02
Valmir Maiochi, dono de panificadora Carrossel | Rodolfo Büher/Gazeta do Povo
Valmir Maiochi, dono de panificadora Carrossel| Foto: Rodolfo Büher/Gazeta do Povo

Reforma é jogo de perde-ganha

Na reta final para sua votação na Assembléia Legislativa, em dezembro, a minireforma tributária do governo estadual ainda divide os vários setores da economia.

Leia matéria completa

O pequeno varejo teme os efeitos da reforma sobre os seus negócios. Dono de uma panificadora no bairro Água Verde, o empresário Valmir Maiochi diz acreditar que a mudança vai pesar negativamente nas suas contas. "Temos um consumo alto de energia elétrica para fazer nossos pães. Usamos telefone para receber encomendas e gasolina para fazer entregas. Do jeito como está, a mudança vai prejudicar o pequeno varejo", diz ele, que receia perder espaço para os grandes supermercados. "Eles são atacadistas que atuam no varejo. Nós não temos escala para compensar os efeitos da elevação dos insumos", diz. Como o imposto recai sobre o faturamento, o pequeno varejo não poderá ser beneficiado pela reforma, que vai mudar a tributação do ICMS na venda ao consumidor final.

Grande parte das 1,3 mil panificadoras e confeitarias no estado, que juntas geram um faturamento de R$ 1,2 bilhão, são pequenas e microempresas. "A energia elétrica representa a quarta maior despesa da panificação, responsável por 10% do preço final do pão, que deve ficar mais caro" afirma o presidente do Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitarias do Paraná, Joaquim Cancela Gonçalves. (CR)

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.