i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Relações internacionais

Pimentel nega desgaste na relação com Argentina

Uma reunião entre os dois países deve ocorrer provavelmente na próxima semana. Para ministro, o desconforto do país vizinho à proximidade

  • PorAgência Estado
  • 16/05/2011 14:47

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, afirmou nesta segunda-feira que as licenças não automáticas na importação de automóveis não gerou desgaste com a Argentina, um dos principais países afetados pela medida. "Não temos ruptura de conversação com a Argentina", afirmou nesta tarde em entrevista à imprensa.

Questionado a respeito de condições para a reunião com a ministra da Indústria da Argentina, Débora Giorgi, Pimentel disse que não há como haver precondições para a reunião, pois não se trata de um problema entre os dois países. "Não tem como aceitar ou formular precondições para a conversa. Nem da parte da Argentina, nem da nossa parte", considerou.

O ministro informou, no entanto, que uma reunião entre os dois países deve ocorrer provavelmente na próxima semana, e atribuiu o desconforto do país vizinho à proximidade. "Já disse isso antes. A medida não é contra nenhum país. É para proteger a nossa indústria. A Argentina se sente mais afetada por conta da fronteira seca".

Na opinião de Pimentel, qualquer impasse entre Brasil e Argentina pode ser resolvido com "boa conversa". Ele aproveitou para reclamar que a Argentina não tem cumprido o prazo de até 60 dias, que é o máximo que a alfândega pode demorar para a liberação de bens em caso de licenças não automáticas. "Os prazos têm sido ultrapassados amplamente, em muitos produtos, mas confio na capacidade de negociação e não há motivo para achar que haverá uma ruptura ou uma guerra comercial entre os dois países", disse.

Débora Giorgi teria sugerido Foz do Iguaçu (PR) como um local para a reunião, descartando a possibilidade de o encontro ocorrer em Brasília. "Vamos escolher o local. Pode ser em Foz", afirmou Pimentel. "Nesta época do ano, as Cataratas estão cheias", brincou.

Mais uma vez, Pimentel disse não ter interpretado a posição argentina como uma imposição. "Entendi que havia um pedido. E precisamos entender que a ministra deve estar sofrendo uma forte pressão da indústria argentina", analisou. Segundo ele, apesar de a medida brasileira não ter sido direcionada ao país vizinho, serviu para começar o assunto entre as duas partes. "Isso é ótimo".

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.