i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Autoconhecimento

Como se reinventar no trabalho

Mudar de profissão sem abandonar a área original pode ser a saída para quem busca novas oportunidades

  • PorDurval Ramos
  • 13/05/2016 20:55
A resposta sobre qual caminho seguir muitas vezes está no que a pessoa já sabe fazer. | Bigstock
A resposta sobre qual caminho seguir muitas vezes está no que a pessoa já sabe fazer.| Foto: Bigstock

A vida profissional nem sempre é como esperamos e, às vezes, é preciso fazer alguns ajustes. Repensar a carreira, mudar os rumos e seguir por novos caminhos não é nenhum pecado e, em muitos momentos, essa pode ser a melhor solução para quem quer continuar crescendo ou mesmo explorar novas oportunidades.

Oque é preciso ter em mente antes de fazer essa mudança? De acordo com a coach Ana Lisboa, a percepção do mercado é o principal ponto que precisa ser levado em conta por quem pensa em fazer essa migração. “É preciso saber olhar à sua volta e estar antenado ao que acontece na sua área de atuação para identificar tendência e possíveis caminhos”, destaca a especialista. Como ela aponta, há uma série de “profissões modernas” surgindo em diferentes áreas e perceber esses movimentos pode ajudar a encontrá-las.

Novos rumos

Algumas recomendações para ajudar quem quer mudar de carreira:

  • Conheça seus pontos fortes e principais habilidades.
  • Esteja atento ao mercado e às suas tendências para identificar novas áreas de atuação.
  • Busque especialização, seja com cursos rápidos ou mesmo uma pós-graduação.
  • Não abra mão de suas qualificações e experiências anteriores, pois elas podem ajudar na nova fase.

Essa mudança de rumo não significa, porém, dar uma reviravolta na carreira para recomeçá-la em outra área. Como explica Ana, trata-se de encontrar um novo rumo ainda dentro de seu campo de atuação e com base nos conhecimentos e na bagagem que a pessoa já acumulou.

“É como se voltássemos à divisão das ciências Humanas, Exatas e Biológicas e, dentro do caminho que você seguiu inicialmente, procurasse outras ramificações”, ilustra a coach. Um profissional de comunicação, por exemplo, pode partir para o marketing ou mesmo assessorar um cliente em um canal no YouTube”.

Outra maneira de se redescobrir é a partir de uma autoavaliação. A consultora e professora da pós-graduação da FAE Luciane Botto sugere que o indivíduo olhe para si em busca de pontos fortes e habilidades que ajudem a indicar o novo caminho, além de coisas que gosta de fazer. “Às vezes, um hobby ou mesmo algo que a gente pensava quando criança podem ajudar a encontrar esses talentos adormecidos. Mas, antes, é preciso se enxergar de outro ângulo para achar essas riquezas.”

Para Botto, a mudança na carreira pode ser bastante benéfica, pois ajuda a alcançar novos aprendizados e a enriquecer o currículo. Porém, ainda assim, é comum que as pessoas tenham resistência a essa reinvenção. “Às vezes, não olhamos para outras áreas porque não sabemos que podemos gostar dela. Se você se permitir ter novas experiências, pode se redescobrir por completo”, diz. Para ela, o maior risco da pessoa é aceitar a própria zona de conforto.

Mudança consciente

Mas mudar o foco de sua carreira é algo que exige preparo, principalmente quando não há experiência na nova área. E a principal recomendação das especialistas é buscar uma especialização que ajude nesse sentido, seja com uma pós-graduação, cursos e leitura sobre o tema. Como acrescenta Botto, pode ser que a pessoa já tenha aquele conhecimento, mas lhe falta prática e profundidade.

Ainda assim, essa migração precisa ser feita de maneira consciente, inclusive na capacitação. “Investir em educação é sempre bom, mas é preciso cuidado onde investir seu dinheiro”, alerta Ana. “Um curso demanda tempo e recursos que muitas vezes a pessoa não dispõe”. Para ela, em alguns casos, é mais vantajoso partir para cursos menores e mais baratos. “A pessoa tem que arriscar com consciência, sempre com passos concretos e pé no chão”, adiciona Botto.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.