Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Maurílio: pós a distância deu conhecimento suficiente para se candidatar ao mestrado em Harvard | Arquivo pessoal
Maurílio: pós a distância deu conhecimento suficiente para se candidatar ao mestrado em Harvard| Foto: Arquivo pessoal

O público feminino e de até 34 anos é o que mais usa as ferramentas do ensino a distância para fazer cursos de aperfeiçoamento profissional. É o que mostra o relatório analítico do segmento, publicado em 2009 pela Associação Brasileira de Ensino a Distância (Abed). Segundo o estudo, 53,4% dos alunos são mulheres e a faixa etária mais presente é a que vai de 30 a 34 anos. "Nesta idade os alunos já têm a maturidade e a dedicação exigidas nos cursos a distância. Eles são responsáveis pelo seu próprio processo de aprendizagem", afirma Luciano Gamez, do grupo de trabalho de certificação da Abed.

O preconceito com a Educação a Distância (EAD) ainda existe, mas a explosão do crescimento da oferta de cursos nesta modalidade (entre 90% e 100% ao ano) demonstra que isso vem acabando. "As pessoas estão cada vez mais acostumadas com as facilidades das novas tecnologias. Com isso, a EAD ganha espaço privilegiado no âmbito da tecnologia e da educação."

Outra demonstração da quebra de paradigma, segundo dados do relatório da Abed, é a aceitação da EAD pelas empresas corporativas brasileiras. "Elas são responsáveis pela formação de 500 mil funcionários por ano, ofertando desde cursos rápidos até os de pós-graduação", diz Gamez.

Apesar da grande oferta de cursos, a opção pelo ensino a distância deve ser feita com cautela. "Para ter um melhor aproveitamento, o aluno deve ser disciplinado, pró-ativo, realizar as atividades de aprendizagem sugeridas e entender que na educação a distância tem de haver a mesma dedicação que no ensino presencial", explica Gamez.

Foi assim com o bancário Maurílio Santana, 30 anos, formado em Direito. Voltar a encarar livros e aulas não foi problema para ele. O obstáculo encontrado foi a falta de tempo. Estimulado pelo seu chefe, a saída foi matricular-se em um curso de pós-graduação a distância, o de Gestão Financeira. A flexibilidade, o curto tempo de conclusão e o foco em um campo específico foram as principais vantagens da modalidade a distância apontadas pelo bancário. "Alinhou minha formação acadêmica com o meu trabalho e ainda cumpriu os requisitos das matérias de Economia e Finanças exigidas quando eu me candidatei ao mestrado". Hoje, Maurílio está licenciado do banco, mora em Cam­­bridge e cursa mestrado em Adminis­­tração Pública, na Universidade de Harvard, uma das instituições educacionais mais prestigiadas do mundo.

Serviço:

Para obter mais informações ou certificar-se de que o curso a distância que deseja fazer é credenciado pelo MEC, acesse o site portal.mec.gov.br/seed.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]