i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Assembléia

Deputados votam anulação do acordo entre Sanepar e Dominó

  • PorGazeta do Povo Online
  • 14/09/2005 07:04

A Assembléia Legislativa vota nesta quarta-feira o decreto legislativo que anula o acordo de acionistas entre a Sanepar e o consórcio Dominó Holdings. A bancada governista aprovou requerimento pedindo a transformação do plenário em comissão geral para agilizar a tramitação e não correr o risco de a votação ser mais uma vez adiada. Segundo reportagem da Gazeta do Povo, os deputados da base de apoio do governador estavam certos de que o decreto, que tramita em regime de urgência desde o mês passado, seria votado nesta terça-feira, mas a matéria ficou parada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

O relator do projeto na CCJ, Barbosa Neto (PDT), emitiu parecer favorável, mas outro integrante da comissão, o deputado oposicionista Luiz Carlos Martins (sem partido) pediu vistas ao parecer e o decreto não pôde ser votado pelo plenário.

Martins justificou que precisava fazer uma "leitura maior" do parecer porque ainda não tinha posição fechada sobre o assunto. No parecer, previsto para ser votado hoje na reunião da CCJ, Barbosa Neto argumenta que a aprovação do decreto vai corrigir uma distorção no acordo firmado em 1998 entre a Sanepar e o grupo Dominó. "O acordo é altamente lesivo aos interesses do estado porque garante à empresa privada o controle acionário da companhia num flagrante desrespeito à lei", disse.

A Dominó tem 39,71% das ações e direito a indicar três das sete diretorias, ocupando cargos estratégicos nas áreas de operações e finanças que definem sobre divisão de lucros, valor da tarifa, empréstimos e dispensa ou não de licitações.

Para o diretor da Sanepar, Stênio Jacob, a aprovação do decreto vai ajudar a instruir a demanda judicial envolvendo o governo e a empresa privada, que se arrasta desde 2001. O Executivo conseguiu na Justiça retomar o comando da empresa em 2003 até o julgamento final do caso. "Hoje, o governo tem o controle e nenhuma diretoria está nas mãos da Dominó, mas com o decreto, a Assembléia vai deixar claro que cabe ao estado administrar a Sanepar, que tem uma função social na vida das pessoas e não prioriza o lucro como a iniciativa privada", disse Jacob.

Leia a reportagem completa na Gazeta do Povo

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.