Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Ronald Ravedutti morreu em um acidente na BR-116, na região metropolitana de Curitiba | Marcelo Elias / Arquivo Agência de Noticias Gazeta do Povo
Ronald Ravedutti morreu em um acidente na BR-116, na região metropolitana de Curitiba| Foto: Marcelo Elias / Arquivo Agência de Noticias Gazeta do Povo

Veja a reportagem do ParanáTV

  • Perito vistoria o local do acidente na BR-116

O presidente da Companhia Paranaense de Energia (Copel), Ronald Ravedutti, de 59 anos, morreu na manhã desta quarta-feira (24), em um acidente na BR-116, em Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o carro em que Ravedutti estava capotou no km 38, próximo a Represa do Capivari.

Ravedutti, de acordo com a PRF, morreu no local do acidente. Ele foi lançado para fora do veículo pelo vidro traseiro. Segundo a assessoria de imprensa da Copel, o veículo era digirido por um motorista da empresa, Sebastião Marcos da Silva, e também estava no carro o fotógrafo da Coordenação de Marketing, Antonio Carlos Borba. Os dois tiveram ferimentos leves.

O acidente ocorreu quando o motorista perdeu o controle do carro em uma curva. O veículo saiu da pista e capotou. No momento do acidente, chovia no local.

Eles retornavam de um evento que ocorreu em São Paulo. Ravedutti havia participado do Seminário Nacional de Distribuição e prestigiou as equipes de eletricistas da Copel que, representando a empresa, conquistaram os dois primeiros lugares no Rodeio Nacional de Eletricistas.

A PRF informa que o trânsito no local estava parcialmente interditado por volta das 8h20, mas o tráfego fluía normalmente.

Funcionário de carreira

Ravedutti assumiu a presidência da Copel no dia 27 de abril deste ano, eleito pelo Conselho Administrativo da companhia. Funcionário de carreira, ele ingressou na Copel em 1971, sempre trabalhando na área financeira. Ele foi diretor Econômico-Financeiro e de Relações com o Mercado em 1994 e, a partir de 2003, comandou as diretorias de Finanças e de Relações com Investidores, de Gestão Corporativa e de Distribuição.

Em nota da direção executiva da Copel, Raul Munhoz Neto, diretor de Geração e Transmissão de Energia e de Telecomunicações, disse que Ravedutti "era um dos mais empolgados e dinâmicos dos quase 9 mil Copelianos que emprestam à empresa seu talento e conhecimento. Era esse o seu estilo, de participar ativamente de tudo o que dissesse respeito à Copel".

Ronald Ravedutti era natural de Santo Antônio da Platina, no Norte Pioneiro do estado. Ele deixou a mulher, Tânia Mara Cestari Ravedutti, e três filhos, Gustavo, Fernanda e Giovana.

A assessoria de imprensa da Copel confirmou que o velório vai acontecer no Palácio das Araucárias, no Auditório Mário Lobo, a pedido do governador Orlando Pessuti. O velório deve acontecer das 17 às 22 horas. Inicialmente, havia sido informado que a cerimônia começaria às 14 horas, mas houve atraso na liberação do corpo.

O enterro será em Santo Antônio da Platina, sua cidade natal. Ainda não foi definido o horário.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]