O presidente da China, Hu Jintao, afirmou neste domingo (20) que o país enfrenta "uma série de novos problemas" que se colocam como obstáculos ao rápido crescimento da economia, incluindo a manutenção da estabilidade social. A declaração foi feita em discurso realizado durante o 60º aniversário da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês (CPPCC), um órgão do Partido Comunista.

O evento faz parte do calendário de comemorações do 60º aniversário da República Popular da China, em 1º de outubro.

Durante o discurso, Hu também disse que a democracia ao estilo ocidental não é uma opção para o país, e acrescentou que a China está empenhada em manter o crescimento forte da economia em meio à crise econômico-financeira mundial. "Devemos olhar os frutos da civilização política da humanidade para desenvolver uma democracia socialista, mas não devemos, de maneira alguma, imitar os sistemas políticos ocidentais", afirmou.

Hu pediu que os membros do CPPCC promovam a unidade do país, que conta com 1,3 bilhão de habitantes. O 60º aniversário da república comunista chinesa ocorre em um período delicado para o país, com conflitos étnicos em Xinjiang, uma vasta região no noroeste chinês, e protestos de massa realizados com cada vez mais frequência.

No sábado, o Banco do Povo da China (banco central) disse que as medidas de estímulo e a moderação no afrouxamento da política monetária tiveram um "impacto pronunciado" na capacidade do país de promover estabilidade e crescimento econômico durante a crise.

O BC chinês não forneceu uma perspectiva de como será sua atuação nos meses à frente, mas enfatizou que vai aderir à direção traçada pelo Partido Comunista chinês. O comitê central do partido disse no sábado que a manutenção do crescimento é a tarefa mais importante do momento e que continuará a seguir uma política monetária moderadamente frouxa e uma política fiscal ativa.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]