i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Ações embargadas

Problema com Odebrecht será resolvido após referendo no Equador, diz Dilma

Ministra-chefe da Casa Civil quer calma nas negociações. Ela minimizou ameaça de não pagamento de empréstimos do BNDES

  • PorG1/Globo.com, com agências
  • 25/09/2008 16:06

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, afirmou nesta quinta-feira (25) que o problema entre a empresa brasileira Odebrecht e o Equador deverá ser resolvido após o referendo que se realiza no próximo domingo (28) no país vizinho. O Equador embargou as ações da empresa nesta semana alegando que não houve pagamento de uma indenização por danos causados por falhas em uma hidrelétrica entregue pela Odebrecht no ano passado.

"Obviamente importa ao Brasil porque é uma empresa importante do País, mas vamos fazer uma gestão calma, tranqüila e esperar passar esse momento do referendo (no Equador). Só depois vamos tratar desse assunto, a declaração do presidente Lula é a compreensão brasileira deste processo", disse a ministra. O referendo vai decidir se será aprovado ou não o texto de uma nova Constituição para o país.

Na quarta-feira (24), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou em Washington acreditar que haverá uma soluçãopara o problema que permitirá a Odebrecht continuar atuando no país vizinho. Lula também havia vinculado o referendo no Equador ao problema.

Dilma aproveitou ainda para minimizar a ameaça do presidente equatoriano Rafael Correa de não pagar os empréstimos feitos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a construção da usina pela Odebrecht. A ministra destacou que o empréstimo foi feito à empresa e não ao país vizinho.

"O BNDES não tem relação com o Equador porque não emprestou para o Equador, emprestou para a empresa. Então, a relação é da empresa com o BNDES, não vamos complicar mais a situação", afirmou Dilma após participar de um encontro com reitores de universidades federais em Brasília.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.