i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
ENERGIA

Quatro gigantes do petróleo concordam em congelar produção

    • SÃO PAULO
    • Folhapress Web
    • 16/02/2016 10:08
     | Arne Hückelheim/WikimediaCommons
    | Foto: Arne Hückelheim/WikimediaCommons

    Os governos de Arábia Saudita, Rússia, Venezuela e Qatar decidiram nesta terça-feira (16) congelar a produção de petróleo nos níveis de janeiro, informou o ministro de Energia e Indústria do Qatar e presidente rotativo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), Mohammed Bin Saleh Al-Sada.

    “A fim de estabilizar o mercado do petróleo, decidimos congelar a produção”, afirmou, em entrevista coletiva realizada nesta terça em Doha, capital do Qatar.

    Os países disseram, porém, que o acordo depende da adesão de outros produtores de petróleo ao pacto. Al-Sada acrescentou que busca-se “uma medida que não só beneficiará os países produtores e exportadores de petróleo, mas a economia global”. Para conseguir isso, o ministro do Qatar anunciou que liderará uma próxima rodada de contatos com países como Irã e Iraque.

    De acordo com fontes familiarizadas com a visão iraniana, o Irã, membro da Opep, estaria disposto a discutir um congelamento da produção de petróleo assim que a sua própria produção atingir taxas pré-sanções.

    Petróleo em queda agrava crise da Petrobras

    Para conseguir retomar o crescimento, a estatal decidiu encolher de tamanho e abandonar várias áreas de negócio

    Leia a matéria completa

    Consenso

    Na entrevista coletiva também estiveram presentes o ministro de Petróleo e Recursos Minerais saudita, Ali al-Naimi; o titular de Energia russo, Alexander Novak, e o ministro de Petróleo venezuelano, Eulogio del Pino.

    Em 28 de janeiro, quando Novak mostrou disposição de participar do encontro desta terça, antecipou que a Arábia Saudita tinha proposto uma corte da produção de 5%. No entanto, ressaltou que antes de concordar com o corte, era necessário que todos os países produtores e exportadores chegassem a um “consenso” base.

    Em seu último relatório, de 10 de fevereiro, a Opep afirmou, citando fontes secundárias, que a produção de petróleo dentro da organização aumentou em janeiro em 131 mil barris por dia e alcançou uma média de 32,3 milhões de barris por dia.

    Antes do anúncio de Doha, a Opep havia informado em Viena que o barril de petróleo dos países da organização se valorizou 6,3% nesta terça e estava cotado a US$ 28,44.

    Com esse aumento, o petróleo da Opep mantém a tendência de alta dos dois últimos dias, nos quais já ganhou US$ 3 por barril. Ainda assim, o preço do barril de referência da Opep se mantém em seu menor nível em 12 anos, devido ao excesso de oferta de petróleo no mercado.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.