i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Demitidos ou não

10 baixas em um ano e meio: quem já deixou a equipe econômica de Paulo Guedes

  • Brasília
  • 27/07/2020 12:07
  • Atualizado em 12/08/2020 às 08:08
O ministro da Economia, Paulo Guedes.
O ministro da Economia, Paulo Guedes.| Foto: Edu Andrade/ME

A equipe econômica montada pelo ministro Paulo Guedes sofreu mais duas grandes baixas na última terça-feira (11). Os secretários especiais Salim Mattar (Desestatização e Privatização) e Paulo Uebel (Desburocratização, Gestão e Governo Digital) pediram demissão, no que o próprio ministro classificou como uma "debandada". Segundo o jornal Valor Econômico, José Ziebarth, um dos diretores do programa de Desbutocratização subordinado a Uebel, também pediu para sair.

Essas não são as primeiras baixas enfrentadas por Guedes. Antes disso, o ministro já estava vendo o derretimento da sua equipe, com ao menos três importantes pedidos de demissão. Pediram para deixar seus cargos Caio Megale (diretor de programas da Secretaria Especial de Fazenda do Ministério da Economia), Rubem Novaes (presidente do Banco do Brasil) e Mansueto Almeida (Secretário do Tesouro). Os três alegaram razões pessoais para deixar o governo.

Antes da debandada de julho, outros nomes importantes já haviam deixado o time de Guedes, seja por decisão própria ou política. É o caso de Joaquim Levy e Marcos Cintra, ambos demitidos pelo presidente Jair Bolsonaro; de Marcos Troyjo e Rogério Marinho, promovidos a cargos melhores; e de Alexandre Manoel, que saiu alegando cansaço.

Relembre as principais baixas da equipe econômica de Paulo Guedes:

Salim Mattar

O ex-secretário de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, Salim Mattar, afirmou que deixou o governo porque não há "vontade política" para avançar com a venda de estatais. Uma das reclamações diz respeito à privatização da Eletrobras, que está sendo discutida desde o ano passado.

"Até agora, o Congresso, nesse caso específico, não teve a priorização de colocar a Eletrobras como um caso a ser resolvido", afirmou Mattar em entrevista à CNN.

O ex-secretário veio do setor privado: ele é dono da empresa de aluguel de veículos Localiza.

Paulo Uebel

Também vindo da iniciativa privada, Paulo Uebel tinha como principal missão a realização da reforma administrativa. De acordo com o próprio ministro Paulo Guedes, porém, a reforma foi barrada pelo presidente Jair Bolsonaro, que considerou não haver "timing político" para o envio do projeto ao Congresso. Não há uma perspectiva a respseito de quando a reforma será encaminhada ao Parlamento.

Uebel é especialista em direito tributário, financeiro e econômico pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Ele também tem uma especialização em liderança global pela Georgetown University, dos EUA.

Caio Megale

Nome mais recente a pedir demissão do Ministério da Economia, o diretor de Programas da Secretaria Especial de Fazenda, Caio Megale, deixará a equipe do ministro Paulo Guedes no início de agosto. Pesou na decisão o desejo de voltar para São Paulo para ficar próximo da família e de retornar à iniciativa privada.

Megale foi secretário de Fazenda na capital paulista no início da gestão de Bruno Covas (PSDB) e economista do Banco Itaú por seis anos. Estava no Ministério da Economia desde 2019, onde ocupou três posições: secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação; assessor especial do ministro Paulo Guedes; e diretor de Programas da área de Fazenda. Ele também esteve cotado para assumir o Tesouro Nacional e a secretaria especial de Produtividade, Emprego e Competitividade.

Rubem Novaes

Dois dias antes da saída de Megale, foi Rubem Novaes quem anunciou o pedido de demissão do cargo de presidente do Banco do Brasil (BB). A decisão estava tomada desde maio e foi ratificada na última sexta-feira (24), em comunicado ao mercado. Novaes deixará o BB em agosto, em data ainda a ser definida.

Ele também deixou o banco por razões pessoais e por não se adaptar “à cultura de compadrio em Brasília”, segundo relatou à rede de TV CNN. Oficialmente, ele informou ao mercado que deixou o posto porque entende que a companhia precisa de renovação para "enfrentar os momentos futuros de muitas inovações no sistema bancário".

Novaes tem 74 anos e é amigo de longa data de Paulo Guedes. Os dois estudaram na Universidade de Chicago, berço do liberalismo econômico. O economista estava na presidência do BB desde janeiro de 2019 e desejava privatizar o banco, sonho que foi barrado pelo presidente Jair Bolsonaro. Ele deve seguir colaborando com a equipe econômica como assessor do ministro no Rio de Janeiro.

Mansueto Almeida

No dia 15 de julho, Mansueto Almeida deixou o cargo de secretário do Tesouro. Foi o primeiro grande pedido de demissão da equipe econômica montada pelo ministro Paulo Guedes.

Assim como Megale e Novaes, Mansueto pediu para sair por razões pessoais. Ele alegou que a ideia era ficar somente seis meses no governo Bolsonaro, mas acabou estendendo sua permanência por um ano e meio. Mansueto também se disse cansado do serviço público e ressaltou o desejo de ir para a iniciativa privada, após o período obrigatório de quarentena.

Um dos principais economistas defensores do ajuste fiscal e do teto de gastos, Mansueto foi secretário do Tesouro no governo Temer; secretário de Acompanhamento Econômico do então ministro da Fazenda, Henrique Meirelles; e assessor econômico do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). Ele também é funcionário de carreira do IPEA.

Marcos Troyjo

Marcos Troyjo foi outro nome importante a deixar a equipe de Guedes, mas por um bom motivo. Ele foi indicado pelo governo brasileiro e depois chancelado por unanimidade pelo Conselho de Governadores para a presidência do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB, na sigla em inglês). O banco é conhecido como "Banco do BRICS".

O mandato de Troyjo começou em julho. O principal objetivo do NDB é apoiar projetos de infraestrutura e desenvolvimento sustentável, públicos ou privados, nos BRICS e em outras economias emergentes.

Antes de ir para o NDB, Troyjo era secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia. Ele foi um dos responsáveis por fechar o acordo entre Mercosul e União Europeia, depois de mais de 20 anos de tratativas. Troyjo é diplomata. Em seu lugar no Ministério da Economia ficou o economista Roberto Fendt.

Alexandre Manoel

Em março deste ano, Alexandre Manoel deixou, por decisão própria, o cargo de Secretário de Avaliação, Planejamento, Energia e Loteria (Secap) da Secretaria Especial de Fazenda do Ministério da Economia. A Secap é a responsável por avaliar políticas públicas e tributárias do governo federal.

Manoel estava no cargo desde 2018. Dois anos antes, trabalhou com Mansueto Almeida no Tesouro Nacional. Ele resolveu deixar o governo também por razões pessoais. É economista do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Rogério Marinho

Em fevereiro, foi a vez de Rogério Marinho sair da equipe de Guedes. Ele foi promovido de secretário especial de Previdência e Trabalho para ministro do Desenvolvimento Regional, pasta que toca políticas públicas de saneamento, habitação e mobilidade, e é responsável pelo programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) e pela Defesa Civil. A promoção foi uma decisão do presidente Jair Bolsonaro em comum acordo com Guedes.

Marinho se destacou na equipe econômica ao liderar a reforma da Previdência do governo Bolsonaro, aprovada em outubro do ano passado. Constantemente, seu nome era ventilado para ocupar alguma posição de ministro. Antes, Marinho foi deputado federal pelo Rio Grande do Norte por três mandatos. Ele foi o relator da reforma trabalhista do governo Temer.

Marcos Cintra

Marcos Cintra foi o primeiro secretário especial da Receita Federal do governo Bolsonaro. Ele foi demitido pelo presidente após defender a criação de um imposto sobre movimentações financeiras, nos moldes da antiga CPMF. A demissão aconteceu em setembro de 2019.

Cintra foi trazido por Guedes para a equipe econômica para liderar a reforma tributária. Em seu lugar, assumiu José Barroso Tostes Neto, que antes era especialista líder em Gestão Fiscal e Municipal do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). Guedes também chamou a tributarista Vanessa Canado para liderar, ao lado de Tostes, as discussões sobre a reforma tributária.

Joaquim Levy

Joaquim Levy foi o primeiro grande nome da equipe econômica a deixar o governo Bolsonaro. Ele era presidente do BNDES e teve de pedir demissão após ser "fritado" publicamente pelo presidente.

Levy foi alvo de críticas de Bolsonaro por ter nomeado o advogado Marcos Barbosa Pinto para o cargo de diretor de Mercado de Capitais do banco de fomento. Pinto foi assessor do BNDES durante o governo Lula, do PT, de 2005 a 2007 – o que irritou Bolsonaro.

Além da nomeação de Pinto, Bolsonaro estava irritado com a demora para abrir a chamada “caixa-preta” do BNDES, uma promessa de campanha do presidente para trazer luz a supostos empréstimos ilegais ou imorais feitos durante os governos petistas.

Antes de assumir o BNDES, Levy foi ministro da Fazenda de Dilma Rousseff. Gustavo Montezano assumiu a presidência do banco de desenvolvimento.

15 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 15 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • C

    carlos

    ± 2 dias

    Esse comentário foi removido por não estar de acordo com os Termos de Uso.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Alderijo Bonache

    ± 2 dias

    Esse comentário foi removido por não estar de acordo com os Termos de Uso.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • D

    Diego Porto

    ± 2 dias

    Pelos comentários aqui o Queiroz continua a fazer depósitos em cheque e em dinheiro vivo nas contas do pessoal.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    FB

    ± 2 dias

    Estelionato eleitoral total. Votei na direita e recebi um PETISTA. Isso que Bolsonaro é, um PETISTA. Logo irá estourar algum escândalo de corrupção e acabou, está tudo igual com a era PETISTA do Brasil, a mais negra de nossa história. Lembrem-se, o Escândalo dos Correios, que começou com o PT em orgia com o Centrão corrupto, foi também no segundo ano de Lula. Antes disso, o PT pagava de partido mais honesto do Universo.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • Z

    Zé Mané

    ± 2 dias

    São nesses momentos que se separam os meninos dos homens! Quem não guenta o tranco e o ritmo do Homem , que pule fora mesmo, vai entrar gente melhor no lugar! Quer moleza? Vai vender maria mole!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Sr. Walker

    ± 2 dias

    Atualizado 12.08.2020 O tal Posto Ipiranga tornou-se um postinho sem bandeira e fornecendo combustível adulterado. Coisa triste. Agora é só reeleição que importa.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    MARCOS ANTONIO COELHO

    ± 2 dias

    Muitos são chamados mas poucos serão escolhidos, essa frase cabe em cheio na política do nosso Brasil, veremos quantos vão aguentar a pressão, não é nada fácil lutar conta, quando a maioria é corrupto.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • M

      MARCOS ANTONIO COELHO

      ± 2 dias

      contra*

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    Francisco Krupa

    ± 2 dias

    só falta ele pedir o boné...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    Evandro

    ± 2 dias

    Uma pena. Os cupins da politica comendo a madeira nobre da eficiência

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • N

    Nm

    ± 2 dias

    O cemitério está cheio de "insubstituiveis" .. toca o barco.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Sr. Walker

    ± 18 dias

    Gostei de como pessoal do PSDB chama o Guedes: ministro semana que vem nós vamos ...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    CSG

    ± 18 dias

    Acho normal , quando a barca começa a afundar as pessoas começam a pular fora.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Sujunior

    ± 18 dias

    Diferente do que possam pensar, isso é positivo porque além de renovação de ideias, substitui aqueles que se sentem cansados com o ritmo da pasta, entrando alguém com mais pique para aguentar o tranco de Paulo Guedes.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • J

      Jose Dambros

      ± 18 dias

      Esse comentário foi removido por não estar de acordo com os Termos de Uso.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.