O dólar terminou em queda ante o real nesta terça-feira, pelo segundo dia consecutivo, com investidores menos apreensivos sobre a temporada de resultados corporativos do segundo trimestre.

A moeda norte-americana encerrou em queda de 0,56 por cento ante ao real, a 1,970 real na venda.

Os primeiros balanços corporativos do segundo trimestre nos Estados Unidos vieram acima das expectativas e animaram os investidores. O banco Goldman Sachs informou nesta terça-feira um crescimento de 33 por cento no lucro do segundo trimestre. Já a Johnson & Johnson, apesar da queda das vendas no período, apresentou um lucro melhor que o previsto.

"A perspectiva de melhora dos resultados corporativos do Goldman Sachs no segundo trimestre se confirmou e animou os mercados", afirmou João Eduardo Santiago, operador da mesa de câmbio do Banco Alfa de Investimento.

As bolsas europeias fecharam em alta, enquanto os índices acionários norte-americanos apresentavam valorização.

Dados sobre as vendas no varejo dos Estados Unidos também apontaram uma recuperação, com alta de 0,6 por cento em junho, acima da previsão dos analistas consultados pela Reuters de 0,4 por cento.

Santiago ressaltou, no entanto, que o aumento dos preços ao produtor nos EUA avançou acima do esperado com alta de 1,8 por cento, limitando uma queda maior da moeda norte-americana. "Se esses dados tivessem vindo alinhandos com a perspectiva do mercado, o dólar teria fechado perto de 1,95 real."

O dólar subia 0,07 por cento frente a uma cesta com as principais moedas mundiais.

Segundo Santiago, a alta acima da esperada pode levar os investidores a apostarem numa elevação dos juros nos EUA.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]