i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
INSS

Reforma começa a fazer efeito e rombo da Previdência deve ficar estável em 2021

  • Brasília
  • 24/09/2020 19:38
Previsão do governo é de que o rombo da Previdência alcance R$ 286,9 bilhões em 2021.
Previsão do governo é de que o rombo da Previdência alcance R$ 286,9 bilhões em 2021.| Foto: André Rodrigues/Arquivo/Gazeta do Povo

As novas regras de aposentadoria e pensão, em vigor desde novembro de 2019, começam a fazer efeito nas contas públicas federais. A previsão do governo é de que o rombo da Previdência alcance R$ 286,9 bilhões em 2021, valor numericamente acima do esperado para este ano, mas ligeiramente inferior quando comparado ao Produto Interno Bruto (PIB).

A previsão é que o rombo da Previdência fique em 3,7% do PIB no ano que vem, enquanto neste ano deve alcançar 3,8% do PIB, ao chegar a R$ 276,1 bilhões. Ou seja, é esperada uma redução de 0,1 ponto percentual no déficit previdenciário em 2021, estabilizando a trajetória crescente dos gastos, que ameaçava provocar um colapso nas contas públicas em médio e longo prazo.

Os dados constam no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) para 2021, encaminhado pelo governo ao Congresso Nacional no fim de agosto. Os valores são referentes ao Regime Geral da Previdência Social (RGPS), administrado pelo INSS, e não incluem gastos com militares da reserva e com o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) dos servidores da União.

Segundo a peça orçamentária, a estimativa do governo é de gastar R$ 704,4 bilhões com a Previdência no ano que vem, ou seja, 9,2% do PIB – 0,2 ponto percentual abaixo do esperado para este ano, quando a despesa deve ser de R$ 677,2 bilhões, ou 9,4% do PIB. A equipe econômica atribui essa redução à reforma da Previdência, que endureceu as regras para acesso a aposentadoria e pensão.

Dos R$ 704,4 bilhões em gastos previstos para 2021, R$ 678 bilhões são relativos ao pagamento regular de aposentadorias, pensões e outros benefícios geridos pelo INSS. Outros R$ 22,2 bilhões são esperados para o pagamento de sentenças judiciais e R$ 4,2 bilhões, à compensação do RGPS aos Regimes Próprios de Previdência. Essa compensação é obrigatória quando ocorre a migração de trabalhadores do regime geral (INSS) para algum regime próprio (público).

Se pelo lado da despesa a perspectiva é boa para as contas públicas, na ponta da receita previdenciária o cenário é desfavorável. A expectativa é arrecadar menos em comparação ao PIB. Trata-se de um reflexo da queda no número de trabalhadores formalizados, provocada pela crise.

O governo espera que a arrecadação atinja R$ 417,5 bilhões, ou 5,4% do PIB – 0,2 ponto percentual a menos que em 2020, quando a arrecadação para o regime geral deve chegar a R$ 401 bilhões.

Governo comemora fim do crescimento explosivo da despesa

Apesar da possível queda na arrecadação, o governo comemora o fato de a despesa previdenciária deixar de ter um crescimento explosivo.

“A redução na despesa previdenciária [em relação ao PIB] é efeito da reforma previdenciária, que trazia como grande ganho a redução no patamar dessa despesa primária”, disse o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues em entrevista coletiva de apresentação do PLOA.

“Ela [a despesa previdenciária] continua crescendo, mas deixa de ter um crescimento explosivo, já tem uma queda no percentual do PIB. Isso mostra o ganho de se ter reformas estruturais do gasto público brasileiro", completou.

Ao todo, a reforma da Previdência deve gerar uma economia de cerca de R$ 800 bilhões aos cofres públicos ao longo de dez anos. A maior parte dos seus efeitos é esperada para médio e longo prazo.

Quase 40% das despesas dependem de crédito suplementar

Dos R$ 704,4 bilhões previstos para gastar com benefícios previdenciários no ano que vem, R$ 272,1 bilhões – 38,6% – estão condicionadas à aprovação de projeto de lei (PLN) de crédito suplementar pelo Congresso Nacional.

A necessidade de aprovação do crédito suplementar para pagar despesas previdenciárias ocorre pelo terceiro ano seguido, já que não haverá recursos suficientes em 2021 para cumprimento da chamada "regra de ouro". Essa regra impede o governo de emitir dívida para financiar despesas correntes. O objetivo é evitar o aumento do endividamento público.

Somente com a autorização do Congresso o governo pode emitir dívida para pagar despesas correntes, sempre que a receita é insuficiente. Desde 2019 o governo vem descumprindo a regra de ouro e precisando emitir créditos suplementares.

Para 2021, a previsão é de uma insuficiência total de R$ 453,7 bilhões, valor que inclui Previdência e outras despesas, como pessoal, complementação do Fundeb e Bolsa Família.

Incluindo militares e servidores federais civis, rombo da Previdência beira 5% do PIB

Incluindo os servidores públicos e os militares, o rombo da Previdência deve chegar a R$ 377 bilhões em 2021, quase 5% do PIB.

O valor engloba os R$ 286,9 bilhões de déficit do INSS, R$ 47,4 bilhões do Regime Próprio de Previdência Social dos servidores da União e mais R$ 42,7 bilhões com os militares da reserva.

11 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 11 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • F

    FB

    ± 13 horas

    E dá para melhorar ainda mais essa reforma. Vamos começar cortar na carne dos militares e do alto funcionalismo do governo. Mas cortar com vontade, só assim a previdência do povo estará salva.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    Carlos Kenji

    ± 13 horas

    Sem dúvida, a reforma era necessária...mas, sempre tem um porém..."não incluem gastos com militares da reserva e com o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) dos servidores da União."....quem tem que arcar com os ônus, somos nós, pobres mortais.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    APJr

    ± 13 horas

    A reforma da previdência era necessária e, para o bem de todos, foi feita. Precisamos agora de uma reforma administrativa que nos ajude a botar um pouco de ordem nas nossas contas públicas, particularmente no que diz respeito aos mais do que imorais penduricalhos pagos aos funcionário públicos de alto escalão !!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    EDUARDO SABEDOTTI BREDA

    ± 15 horas

    Não há futuro para o país sem que a população entenda que, se vivemos mais, naturalmente o tempo para aposentar chegará mais tarde. Ainda mais considerando a informalidade e a queda no número de nascimentos e de futuros trabalhadores e segurados do INSS. Chegará o dia em que a previdência migrará para o regime da capitalização. É o curso natural do sistema de previdência num país em que a expectativa de vida vem crescendo rapidamente.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • M

      Marco Polo

      ± 15 horas

      Já é impossível qualquer sistema de implique em formação de capital para utilização posterior sem que seja sob o sistema de capitalização. Somente pessoas más é que insistem nessa covardia com o dinheiro de terceiros, visto que, com os deles, são investidos onde possam dar mais juros do que a inflação possa tomar tomar!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    Jackson Osmar Nunes da Silva

    ± 15 horas

    Boa matéria. Mas faltou abordar a questão das RENÚNCIAS FISCAIS NO ÂMBITO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    Jackson Osmar Nunes da Silva

    ± 15 horas

    Boa matéria.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Marco Polo

    ± 15 horas

    A redução do peso do INSS em relação ao PIB, o que é apenas mais um dado de referência, como visto é extremamente saudável à nossos olhos, e que poderá ser obtida, paulatinamente, pela redução das benesses e aumento de nossa produção. Daí a necessidade do brasileiro mediano, que foi acostumado à reivindicar apenas seus direitos, entender que tudo quem gera, consome e paga é o povo; mas em um escala enormemente maior, o povo que produz! Daí também porque é vital o entendimento de que os mais progressistas cidadãos, i.e., alienados e retrógrados, devam deixar de nos atrapalhar para seu próprio bem e o dos seus!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • W

    Walter

    ± 16 horas

    É uma das contas que os brasileiros terão que pagar por ter escolhido o PT por 16 anos. Eleições estão aí, as escolhas de hoje definirão o que seremos ou teremos amanhã.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • G

    GUSTAVO

    ± 21 horas

    Que texto de assessoria de imprensa. Cheio de números, para encarar o leitor, e com uma manchete favorável. Quem pagou a conta da reforma foi o povo. 80% da economia quem paga é quem ganha até 2000 reais. Enquanto isso, os milicos que são os responsáveis pelo maior déficit/cabeça tiveram aumento.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • N

    NH4NO3

    ± 24 horas

    A previdência é rombótica. Em Brasília 19:00. Congresso Nacional, STF e Palácio do Planalto, muito bem obrigado!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.