i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Trabalho

Setor de telemarketing é líder nas ofertas de emprego no país

  • PorAgência Brasil
  • 07/02/2010 12:19

Com cerca de três mil vagas disponíveis no Centro de Apoio ao Trabalhador (CAT), na capital paulista, o setor de telemarketing é um dos que mais cresce a cada ano, liderando a lista das ofertas de emprego, afirmou o gerente do CAT regional norte, André Bucater.

Segundo ele, isso ocorre porque o Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) se tornou uma necessidade desde que as empresas passaram a atender o consumidor em tempo real para poder avaliar o que ocorre com seus produtos e serviços.

"Isso está acontecendo com muitas empresas atualmente. Eles estão contratando muita gente não só para o SAC como para vendas, promoções e cobranças. E a procura pelas vagas também é grande porque não se exige experiência em carteira, o que faz com que a maior procura seja pelos jovens no seu primeiro emprego. Normalmente é preciso ter conhecimento em informática, objetividade, clareza na comunicação, facilidade para abordagem com o cliente, simpatia e determinação".

Segundo o diretor de Comunicação do sindicato dos Trabalhadores em Telemarketing, Ronaldo Lopes, o setor emprega atualmente cerca de 850 mil trabalhadores em todo o território nacional. Até o fim deste ano este número deve chegar a 1 milhão a 1,2 milhão. Só no estado de São Paulo são 380 mil funcionários e na região metropolitana da capital 250 mil.

Lopes explicou que 70% dos empregados no telemarketing têm de 18 a 26 anos e 76% são mulheres. Ele destacou que o setor agrega vários segmentos e por isso está sempre aberto também para outras faixas etárias, incluindo mulheres acima dos 40 anos. "Há muitas mulheres nessa faixa etária que estão na área porque depois de ficarem afastadas do mercado de trabalho resolveram ou precisaram voltar a exercer uma atividade remunerada". De acordo com ele, o setor do telemarketing tem a especificidade de não ter nenhuma espécie de preconceito ao selecionar seus trabalhadores.

A rotatividade é outro fator presente no telemarketing. O chamado turn over, praticado pelas empresas, serve para estimular os funcionários, ou seja, aqueles que produzem continuam, os que não atingem os objetivos acabam sendo eliminados. "As empresas pregam que quem vender mais continua na empresa, quem não atingir as metas acaba sendo substituído pela mão de obra que há no mercado". Ao mesmo tempo a média de permanência de um funcionário em uma empresa de telemarketing varia de três a sete anos.

As menores empresas são as que pagam as melhores médias salariais, um dos motivos que contribuem para a rotatividade de funcionários. Em uma empresa de maior porte o salário chega a R$ 750,00. Já naquelas com até 100 funcionários os ganhos podem chegar a R$ 1.200. "Os trabalhadores acabam adquirindo experiência nas grandes empresas e migram para as pequenas, por conta das melhores condições".

Apesar de destacar que a atividade é interessante por permitir o contato direto com o público, Lopes afirmou que o trabalho de telemarketing gera estresse ao funcionário por causa das condições nem sempre boas e, principalmente, pelo assédio praticado contra o trabalhador. "Embora tenhamos conseguido instituir o descanso, muitas empresas insistem em controlar a ida do trabalhador ao banheiro por exemplo. Embora seja um setor no qual a tecnologia é de ponta, as relações com o trabalhador ainda estão atrasadas".

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.