i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Tecnologia 5G

Sob pressão americana, Brasil, UE e Alemanha cogitam restrições à chinesa Huawei

    • The Washington Post
    • 26/11/2019 15:33
    Sob pressão americana, Brasil, UE e Alemanha cogitam restrições à chinesa Huawei
    | Foto:

    Após meses de reveses na guerra entre Estados Unidos e a empresa chinesa de tecnologia Huawei, o vento parece estar mudando. Nos últimos dias, União Europeia, Alemanha e Brasil tomaram medidas para restringir as operações da companhia. Há mais de um ano, os EUA insistem que a Huawei pode ser um cavalo de Troia do governo de Pequim para espionar e sabotar digitalmente outros países.

    Os argumentos americanos parecem avançar também no Canadá. "Quando Huawei chegar ao Canadá... eles terão acesso aos relatórios médicos, bancários, posts nas mídias sociais - eles saberão tudo de todos os canadenses", disse o consultor da segurança nacional da Casa Branca, Robert O'Brien, numa conferencia no Canadá em que recebeu aplausos de parlamentares conservadores que pedem ao primeiro-ministro do país, Justin Trudeau, de seguir os EUA.

    O'Brien alertou também os canadenses que a troca de informações entre as inteligências de Estados Unidos e Canadá "será afetada se nossos aliados próximos deixarem o cavalo de Troia entrarem na cidade".

    A inversão de marcha sugere que aliados que exitavam em se unirem aos Estados Unidos numa proibição geral à Huawei cogitam ações limitadas contra a empresa chinesa que vão ao encontro às demandas das autoridades americanas. Isso pode reduzir o perigo do domínio chinês nas redes 5G que trasportarão mais dados que qualquer outra rede wireless já existente e suportarão uma tecnologia de nova geração que permitirá o funcionamento de veículos autônomos e fábricas automatizadas.

    A União Europeia, por exemplo, apoia um processo meticuloso de revisão das companhias de 5G que inclui o exame do quadro legal e de política empresarial. Isso pode levar à proibição da Huawei por causa de suas ligações com o Partido Comunista Chinês. O parlamento alemão aprovou uma resolução parecida - embora a chanceler Angela Merkel fosse contrária - que bloqueia os equipamentos de 5G dos países em que os governos têm forte controle sobre o setor privado.

    O Brasil também avalia impor restrições à instalação da Huawei no país. O leilão do 5G está previsto para o ano que vem. De acordo com a Folha de S. Paulo, o governo brasileiro, pressionado pelos EUA, estuda a criação de um comitê de revisão dos investimentos estrangeiros, que especialistas enxergam como uma saída legal para excluir a companhia chinesa da licitação.

    No entanto, apenas um pequeno grupo de países têm seguidos os Estados Unidos na proibição total da Huawei - Austrália, Japão e Nova Zelândia. O Reino Unido decidiu limitar os contratos da Huawei às redes periféricas do 5G, deixando de fora o centro nevrálgico do sistema. Mesmo assim, isso daria acesso a muitas informações, segundos as autoridades americanas.

    A tendência de mudança observada em muitos países ocorre no momento em que o governo dos EUA realiza esforços para restringir a Huawei - que contempla a proibição das redes de 5G, os contratos com o governo e restrições à venda de produtos americanos à companhia chinesa.

    6 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 6 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

    • A

      ACIR CARDOZO

      ± 0 minutos

      O atual governo brasileiro, verdadeiro vassalo dos EUA, irá, tal qual uma vaquinha de presépio, acatar bovinamente o que o Tio Sam determinar.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • M

        Melissa Oliveira

        ± 13 minutos

        Acreditam mesmo nisso?! E o liberalismo econômico?!

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • C

          Cidadão Brasileiro

          ± 1 horas

          A Huawei foi a primeira a alcançar a especificação 5G e comercializá-la, coisa de 5 anos à frente. Concorrentes estão literalmente apavorados. Como acusar a Huawei de ser cavalo de troia e provar que as futuras alternativas não o serão? Há meios técnicos de verificação. O problema mesmo é a dis**** comercial de um mercado gigantesco.

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • C

            Cidadão Brasileiro

            ± 2 horas

            Está mesmo escrito “exitavam”? Temos que criar uma delegacia especializada em crimes contra a língua portuguesa!

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            1 Respostas
            • A

              ACIR CARDOZO

              ± 13 minutos

              Não há necessidade de mais um órgão estatal. Ao final de toda matéria do jornal há um link "COMUNIQUE ERROS". Basta clicar nele e informar o erro.

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

          • L

            LIVIO MOZARTH MENDES MARCAL

            ± 17 horas

            Sim, mas a Huawei não fabrica somente celulares. Fabricam switches...storages(esses muito mais críticos eu diria). O Brasil vai fazer o que ?

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            Fim dos comentários.