i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Boletim

Turismo para todo mundo

  • PorMarisa Valério com equipe de Economia – economia@gazetadopovo.com.br
  • 25/09/2010 21:06
 | Divulgação
| Foto: Divulgação

O setor de turismo deve crescer o dobro do PIB do Brasil em 2010, o que está estimulando o investimento nas agências de viagens. Maior operadora do país, com faturamento de R$ 2,6 bilhões, a CVC acaba de inaugurar sua décima terceira loja em Curitiba, a terceira de rua na capital, localizada na Mateus Leme. Em entrevista à repórter Cristina Rios, o representante de vendas da CVC na cidade, Ricardo Luz (foto), diz que o próximo passo será abrir lojas dentro de supermercados, para atender principalmente aposentados e as classes C e D e lançar a CVC Jovem, dedicada a estudantes. Curitiba está entre as cidades onde a operadora mais cresce no país, com um aumento do número de passageiros de 83% nesse ano, na comparação com 2009 – a média nacional está em 32%.

A CVC acaba de abrir mais uma loja em Curitiba. Quais os planos da operadora para a cidade?

O mercado está muito aquecido. Curitiba representa hoje 2,6% dos negócios da empresa. O Paraná é o quarto maior mercado e tem uma participação de 5,67% nas vendas, superior, inclusive, à do Rio de Janeiro, que tem 5,21%. Mas 48% dos negócios ainda são feitos em São Paulo e um dos objetivos da CVC é descentralizar e regionalizar mais as vendas. Vemos um grande potencial para Curitiba nos próximos anos.

Por que o brasileiro está viajando tanto?

Os salários estão aumentando, há estabilidade no emprego. Além disso, há muitas facilidades para se adquirir um pacote de viagem. Hoje é possível parcelar a compra em dez vezes, pagar com cartão de crédito, no boleto e até mesmo com desconto em folha de pagamento.

Esse crescimento veio para ficar?

Na Europa, 60% das viagens são realizadas por meio de turismo organizado. Nos EUA, esse porcentual é de 42%. No Brasil, essa proporção, que era de 12% há cinco anos, está hoje em 18%. O que mostra que ainda temos muito que crescer.

A empresa tem planos de abrir lojas em hipermercados. Como está esse projeto?

Estamos em negociação com os grupos Walmart e Pão de Açúcar. O aposentado, que é um cliente em potencial, vai dez vezes ao hipermercado e nenhuma aos shoppings, onde está a maior parte das nossas lojas. O hipermercado também é uma forma de atrair as classes C e D. Se conseguirmos colocar uma CVC em cada hipermercado de Curitiba serão 22 lojas. A nossa meta é ter 60, 70 lojas na cidade – entre lojas de rua, shoppings e hipermercados – até 2014. O investimento médio em cada loja é de R$ 150 mil. Outro projeto é a CVC Jovem, programa para formandos.

Os principais destinos para esse público são a Disney e Porto Seguro (BA) e a ideia é dar atendimento diferenciado para os estudantes.

O que a empresa prepara para a próxima temporada de férias?

A partir de fim de dezembro vamos oferecer 18 voos fretados para o Caribe, com destino a Saint Martin, Aruba, Curaçao, Cancun e Barbados. Teremos também um voo inédito de Curitiba para Cabo Frio (RJ) e outro direto de São Paulo a Las Vegas (EUA). O fundo Carlyle (que controla a CVC) possui vários hotéis na cidade dos cassinos. Além disso estamos ampliando os serviços da nossa loja online (www.cvc.com.br), que agora permite fazer o orçamento da viagem a partir de Curitiba.

* * * * *

Carinho de Natura

O empresário Guilherme Leal revelou carinho especial por Curitiba, em sua passagem por aqui nesta semana, como candidato a vice-presidente de Marina Silva (PV). Ele contou que em 1979 abriu um escritório pequeno na rua Carlos de Carvalho para vender os produtos da sua Biocosmética, empresa que deu origem à Natura, hoje uma das maiores companhias brasileiras do setor, com capital aberto e operação internacional.

Leal veio para cá durante um ano com freqüência e ao descer no Aeroporto Afonso Pena se deparava com a loja de seu maior concorrente nacional, O Boticário. "Sempre que chegava via aquela loja, tão simpática! Que bom que os dois negócios prosperaram!", comentou.

O melhor pedaço

Quem ainda suspira pelo bolo de brigadeiro da Amor aos Pedaços poderá matar a saudade em breve. A franquia de guloseimas paulista volta a Curitiba em outubro. Nos anos 90, a rede abriu uma loja no shopping Mueller, mas ela não prosperou por dificuldades logísticas. Na época, não havia alternativa adequada de transporte especializado.

A loja, um investimento de R$ 310 mil, fora o ponto, vai ser aberta na área expandida do Parkshopping Barigüi.

Água fina

Butique de água? Isso mesmo. É a loja que a Água Mineral Timbu inaugura nesta semana em Curitiba, para vender, além da própria marca, as famosas Perrier, Panna e San Pellegrino.

A fábrica da Timbu fica em Almirante Tamandaré e quem comanda o negócio é a empresária Maria Alice Silveira Carneiro.

Espaço útil

Mesmo com a superoferta de condomínios-clube, o curitibano ainda tem apreço pelo apartamento tradicional, em que a maior parte da área construída é privativa, mostra a Construtora Curitiba. Em poucos dias de pré-lançamento, a empresa vendeu quatro das sete unidades de um prédio no Alto da XV. O maior argumento de venda foi o de que apenas 27% da área são comuns.

Ouro Verde

O grupo Ouro Verde, com sede em Curitiba e um dos maiores do Brasil nos segmentos de logística e locação de veículos, concluiu sua primeira emissão de debêntures, no valor de R$ 75 milhões. A operação vai melhorar a estrutura de capital de giro e foi coordenada pelo HSBC. A empresa emprega 1,6 mil pessoas em 37 filiais.

A receita líquida foi de R$ 500 milhões em 2009.

Mais crédito

A Barigüi Financeira está levando para o interior do Paraná a opção do refinanciamento imobiliário. A modalidade de crédito usa como garantia um imóvel próprio, que pode ser residencial, comercial ou terreno, já quitado. Segundo a financeira, o modelo vem tendo crescimento exponencial: foi de 150% em 2009, em relação a 2008, e deve chegar a 250% neste ano.

Memória fraca

Mais da metade (54,1%) dos entrevistados no Paraná pela pesquisa Top of Mind, da revista gaúcha Amanhã, não soube dizer o nome de uma empresa pública eficiente. A maioria dos que lembraram de alguma empresa citou a Copel. A categoria estreou neste ano na pesquisa.

O ranking feito em parceria com o Instituto Bonilha está na 15ª edição e será apresentado em outubro.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.