i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
crise financeira

Vendas no varejo dos EUA sobem; confiança diminui

As preocupações sobre o elevado desemprego retraíram a confiança do consumidor no início deste mês, o que pode provocar redução dos gastos

  • Porreuters
  • 12/03/2010 13:25

As vendas no varejo dos Estados Unidos subiram inesperadamente no mês passado, apesar das fortes nevascas e da queda nas compras de veículos após os recalls da Toyota, o que alimentou as expectativas de uma recuperação econômica sustentável.

Mas as preocupações sobre o elevado desemprego retraíram a confiança do consumidor no início deste mês, o que pode provocar redução dos gastos.

As vendas aumentaram 0,3 por cento, informou o Departamento de Comércio nesta sexta-feira. O dado de janeiro, no entanto, foi revisto para baixo, de alta de 0,5 por cento divulgada inicialmente para crescimento de 0,1 por cento.

Analistas esperavam queda de 0,2 por cento das vendas em fevereiro. Ante igual mês do ano passado, as vendas subiram 3,9 por cento.

O índice de confiança do consumidor da Thomson Reuters/Universidade de Michigan caiu para 72,5 no início de março, ante 73,6 em fevereiro. A leitura ficou abaixo das expectativas, de manutenção em 73,6.

"É mais importante ver o que os consumidores fazem do que o que eles dizem. Certamente, há um tom um pouco diferente entre as vendas do varejo e os dados de confiança", disse Kevin Flanagan, estrategista-chefe de renda fixa do Morgan Stanley Smith Barney, em Nova York.

Outro relatório mostrou que os estoques empresariais ficaram estáveis em janeiro, após queda de 0,3 por cento em dezembro.

"Acho que é uma parte da melhora geral da economia que vai garantir que a gente continue no caminho do crescimento", afirmou David Resler, economista-chefe do Nomura Securities International, em Nova York.

O Federal Reserve reúne-se na terça-feira e a expectativa é de que mantenha o juro básico na faixa de zero a 0,25 por cento e também repita a promessa de manter a taxa em nível baixo por um "período prolongado".

Dados mais fortes, no entanto, podem incentivar uma discussão na reunião, depois que algumas autoridades levantaram preocupações sobre o impacto inflacionário de manter o juro baixo por muito tempo.

As compras de veículos e componentes caíram 2 por cento no mês passado, após queda de 1,5 por cento em janeiro, provavelmente refletindo a redução da demanda por consumidores preocupados com os recalls da Toyota.

Excluindo veículos, as vendas no varejo subiram 0,8 por cento, acima do esperado, depois de alta de 0,5 por cento no mês anterior. Economistas esperavam aumento de 0,1 por cento.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.