Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Educação
  3. Alunos ocupam escola em SJP em protesto contra reforma do ensino médio

Manifestação

Alunos ocupam escola em SJP em protesto contra reforma do ensino médio

Caso seja aprovada pelo Congresso, governo pretende implantar reforma de forma gradual a partir de 2017

  • Da Redação
  • Atualizado em às
Estudantes manifestam contra reforma do ensino médio no Colégio Arnaldo Jansen, em São José dos Pinhais | Henry Milleo/Gazeta do Povo
Estudantes manifestam contra reforma do ensino médio no Colégio Arnaldo Jansen, em São José dos Pinhais Henry Milleo/Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Cerca de 30 estudantes de diversas instituições ocupam, desde a noite desta segunda-feira (3), as instalações do Colégio Padre Arnaldo Jansen, em São José dos Pinhais. Os jovens protestam contra a proposta de reforma do ensino médio anunciada no último dia 22 de setembro pelo Ministério da Educação que, caso seja aprovada pelo Congresso, será implantada de forma gradual a partir de 2017.

LEIA TAMBÉM: “Novo ensino médio” é contestado por duas ações no STF; entenda o que muda

Vídeo mostra manifestação em Curitiba

GALERIA: Veja imagens da ocupação em São José dos Pinhais

A ocupação foi definida, segundo os estudantes, sem a liderança de um movimento específico, após um debate realizado na última sexta-feira (30). No encontro, de acordo com Mariana da Silva Gomiela, 16, uma das alunas que ocupam a escola, se reuniram cerca de 400 estudantes de 27 das 30 escolas estaduais de São José dos Pinhais. Nesse debate, além da ocupação, ficou também definido que na próxima sexta-feira (5) será realizada uma passeata.

LEIA TAMBÉM: Toda ocupação de prédio público é legítima?

A Secretaria de Estado da Educação (Seed) comunicou, por nota, que representantes da Superintendência da Educação estiveram nesta manhã com os estudantes para explicar como deverá ser a discussão sobre a proposta no Paraná. Segundo a Seed, “a reforma será amplamente debatida com a comunidade escolar antes da implementação de qualquer mudança”. Os estudantes farão uma assembleia nesta tarde para definir os rumos da manifestação. Participam do ato estudantes de escolas de São José dos Pinhais, Colombo, Curitiba e de instituições de ensino superior.

Os alunos afirmaram ainda que a manifestação só terminará se a reforma não avançar. A intenção é ampliar o movimento durante esta tarde. “A ocupação não é só dos alunos do Arnaldo, é importante lembrar que outros estudantes estão aqui ou virão para organizar novas ações”, ressalta Mariana.

Durante o movimento os alunos estão organizando oficinas, debates e aulões para estudantes que prestarão vestibular.

Os principais pontos polêmicos da proposta do governo são a transformação da jornada diária de quatro horas para sete horas, ou seja, a implantação do ensino integral, e a flexibilização das matérias, que se traduz em permitir ao aluno que, a partir do segundo semestre da 2ª. série do ensino médio, escolha uma área do conhecimento para se aprofundar, entre cinco opções (chamadas de ênfases): linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica e cursos profissionais.

Segundo a estudante Marcyeli da Cruz, 17, que também participa da ocupação do Colégio Padre Arnaldo Jansen, os alunos não acham nenhum ponto da reforma positivo e por isso manterão a escola ocupada.

Desde a sua entrega ao Congresso, a Medida Provisória 746recebeu 567 sugestões de emendas.

Passeata

Cerca de 200 estudantes do Instituto de Educação do Paraná fizeram, na manhã desta terça-feira (4), uma manifestação contra a Medida Provisória (MP) que modifica o Ensino Médio. Outros protestos estão programados para quarta-feira (5) e domingo (9). Depois de caminhar pelas ruas do Centro de Curitiba, o grupo permaneceu por cerca de uma hora em frente à Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE