Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Eduardo Leite vetou projeto sobre educação domiciliar no Rio Grande do Sul
Eduardo Leite vetou projeto sobre educação domiciliar no Rio Grande do Sul| Foto: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul manteve o veto do governador Eduardo Leite (PSDB) ao projeto que regulamentava a educação domiciliar no estado. Em votação realizada nesta terça-feira (24), 24 deputados votaram pela manutenção do veto de Leite e 22 manifestaram-se pela derrubada do veto do governador. Com a decisão, o homeschooling segue sem o amparo de uma lei estadual no RS.

>> NOVIDADE: faça parte do canal de Vida e Cidadania no Telegram

Em 2 de julho, o veto integral de Leite ao texto foi publicado no Diário Oficial. A justificativa do governador foi de que a educação domiciliar só pode ser regulamentada por lei federal aprovada no Congresso e citou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

“Em que pese ser meritório, o Projeto de Lei de iniciativa do Deputado Fábio Ostermann deve ser vetado por razões de constitucionalidade [...] Sob o aspecto jurídico, o Projeto padece de vício dada a competência privativa da União para legislar sobre a matéria".

O projeto - que agora teve o veto confirmado pelo Legislativo gaúcho - havia sido aprovado em 8 de junho por 28 votos favoráveis e 21 contrários. As votações no RS ocorrem em turno único, com exceção das PECs (Propostas de Emenda à Constituição do Estado do RS).

O autor do projeto, deputado Fábio Ostermann (Novo), lamentou a decisão de Leite e também a da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul.

“Proibir o homeschooling interessa tão somente às entidades que defendem os interesses corporativistas ligados à educação. Interessa aos partidos de esquerda que instrumentalizam essas pautas em favor de mobilização política e de votos. Mas definitivamente não interessa às milhares de famílias que se dedicam a essa pauta e nem às que não se dedicam, mas que gostariam de ter ao menos a liberdade de escolher.

Lamento profundamente a decisão política do governador de vetar o projeto e da Assembleia Legislativa que manteve esta posição. De forma muito clara, Leite demonstra estar mais preocupado com suas aspirações políticas do que em garantir segurança e acolhimento às famílias educadoras RS afora”, afirmou Ostermann por meio de nota.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]