Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
É a tecnologia – e não a religião – o que está impulsionando o ensino domiciliar
| Foto: Unsplash

O que ocorre no Brasil e no mundo durante a pandemia da COVID-19 não é exatamente homeschooling, já que a quarentena foi imposta a todas as famílias, inclusive àquelas que preferem o ensino escolar. Trata-se de um improviso, recebido como um incômodo para alguns, mas também como uma grata surpresa para outros. Entre esses, muitos provavelmente viam o ensino domiciliar como uma excentricidade, coisa de religiosos fanáticos, como no mito já desmascarado em outro artigo. No entanto, estão descobrindo – ainda que involuntariamente – que educar os filhos em casa é possível, funciona e que a educação personalizada de verdade pode gerar resultados inalcançáveis em outros ambientes. Estão descobrindo ainda que o grande motivador por trás do crescimento do ensino domiciliar no mundo não é um suposto desejo religioso de isolar os filhos da sociedade, mas sim as facilidades oferecidas pelas novas tecnologias de aprendizagem, pois elas funcionam e muito bem.

Pais que até hoje nunca tinham se dado ao trabalho de procurar, estão agora tendo o primeiro contato com o universo das plataformas de aprendizagem online e surpreendendo-se com a qualidade dos materiais disponíveis, muitos deles a preços acessíveis ou até de graça.

Virou cena comum, por exemplo, ver posts de alegria nas redes sociais dos pais que descobrem o Khan Academy, o gigante site norte-americano de educação à distância, cuja missão é “proporcionar uma educação gratuita e de alta qualidade para todos, em qualquer lugar”. É possível que muitos já tivessem ouvido falar da iniciativa em notícias de jornal, mas não faziam ideia de que grande parte dos conteúdos já está traduzida ao português do Brasil - inclusive os vídeos e gráficos - com divisão por faixa etária e adaptado ao currículo nacional.

Os insensatos críticos do homeschooling também vão se surpreender ao saber que a plataforma multinacional disponibilizou, em português, uma página específica para pais que educam os filhos em casa, na qual anuncia “um recurso gratuito e de alto nível para famílias que optam pelo ensino domiciliar”. Nela, há testemunhos de gratidão escritos por pais homeschoolers que usam o Khan Academy como uma das principais ferramentas de aprendizagem.

Com outro foco, mas igualmente úteis aos pais educadores, há uma infinidade de opções disponíveis em agregadores de cursos, como Hotmart e Udemy, que servem como formação continuada aos pais, além de alternativas mais acadêmicas, como a Coursera, que oferece, por exemplo, conteúdo gratuito sobre alfabetização, certificado por universidades norte-americanas, para famílias determinados a ensinar melhor. No Brasil, o próprio Ministério da Educação lançou esse ano seu curso online em práticas de alfabetização, o Tempo de Aprender, cujo número de acessos chegou a dois milhões em apenas quatro meses.

Entretanto, não são apenas as grandes organizações e o governo, que têm usado as novas tecnologias para dar sua contribuição às famílias educadoras. Quem participa de grupos de WhatsApp e comunidades virtuais sobre homeschooling conhece bem o fenômeno dos professores que se tornam verdadeiras celebridades nas redes sociais, graças ao prestígio e confiança conquistados pela qualidade dos materiais didáticos que produzem e do bom atendimento aos pais que os procuram.

Nomes como o de Sérgio Morselli, no campo da matemática, ou de Géssica Hellmann, no segmento da educação clássica, são mencionados e recomendados com impressionante frequência nesse meio. Eles não dispõem de potentes plataformas de educação à distância, mas sabem usar com competência as redes sociais, são bons no que fazem e reconhecem o ensino domiciliar como opção legítima, como um fato e como modalidade em ascensão.

Seguindo a mesma linha, há toda uma geração de educadores libertando-se das amarras daquele pensamento sindical típico do século XIX, vencendo o medo da novidade e enxergando o homeschooling aliado à tecnologia como um mundo de oportunidades a ser conhecido e com o qual podem contribuir. São todos muito bem vindos.

* Jônatas Dias Lima é jornalista e assessor parlamentar na Câmara dos Deputados, onde atua junto à Frente Parlamentar em Defesa do Homeschooling. E-mail: jonatasdl@live.com

5 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]