i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Exame Nacional do Ensino Médio

“A gente não sabe o futuro, mas não acredito”, diz ministro sobre riscos do Enem na pandemia

  • 17/01/2021 13:26
Enem na pandemia
Ministro da Educação Milton Ribeiro vistoriou local de prova do Enem em Curitiba.| Foto: Gazeta do Povo

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, revelou que cinco mil candidatos comunicaram sintomas ou diagnóstico da Covid-19 e outras doenças transmissíveis e, por isso, não vão participar do primeiro dia de aplicação das provas do Exame Nacional do Ensino Médio. Os pedidos de dispensa foram feitos até este sábado (16), véspera do Enem.

Ribeiro ainda garantiu que o MEC tomou todas as medidas de segurança sanitária possíveis para evitar a eventual propagação do novo coronavírus entre os participantes. As declarações foram dadas em Curitiba (PR), cidade que recebeu a visita do ministro na manhã deste domingo (17) para acompanhar as condições de realização desse primeiro dia de aplicação do Enem 2020, realizado agora em janeiro devido a adiamentos causados pela pandemia.

O ministro defendeu que a realização do Enem neste momento demonstra o compromisso do governo federal com a educação. Questionado sobre a possibilidade de o Enem piorar a pandemia, Ribeiro respondeu: "a gente não sabe o futuro, mas eu não acredito. Não acredito porque existe toda uma regra, os cuidados vão ser tomados. Não podíamos mais dispensar o Enem porque íamos prejudicar demais os alunos".

Em todo o país cerca de 5,7 milhões de candidatos devem realizar as provas. Da capital paranaense, Ribeiro seguiu para Goiânia, para cumprir o mesmo tipo de agenda. No final da tarde estará de volta em Brasília, onde concederá entrevista coletiva sobre o dia de provas pelo país.

Distanciamento no Enem

Para este ano, o Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep), responsável pela avaliação, estabeleceu regras específicas para reduzir aglomerações nos locais de prova. Os portões foram abertos às 11h30, horário de Brasília, meia hora antes do previsto nos editais. Além disso, o uso de máscara é obrigatório, bem como o distanciamento.

Apesar do anúncio dessas medidas, a Defensoria Pública da União afirmou ontem (sábado, 16) à Justiça que o Inep mentiu sobre a ocupação de salas. Os planos de aplicação da prova incluem ocupação de até 80%, enquanto o governo federal promete apenas 50% de lotação nas salas.

Sobre o caso, o ministro Milton Ribeiro afirmou que "essa não é a realidade prática". De acordo com o comando do MEC, o planejamento do governo federal levou em consideração a média de abstenção do Enem para evitar um avanço excessivo dos custos com mais salas de aplicação das provas. "O que nós fizemos foi gastar mais de R$ 150 milhões a mais para observarmos um distanciamento maior", afirmou o ministro. Ribeiro observou ainda que os locais de prova serão vistoriados também pelo Ministério Público, que poderá investigar eventuais descumprimentos.

No colégio curitibano visitado pelo ministro, haverá provas em trinta salas, com distribuição de 12 a 13 carteiras por sala e distanciamento de 1,5 a 2 metros entre elas. O espaço receberá 640 alunos.

A DPU chegou a pedir que o exame não fosse realizado, mas recebeu negativa da Justiça. Na decisão que manteve as datas do Enem, o juiz federal Leonardo Henrique Soares afirmou que “não houve demonstração a priori” da incompatibilidade entre o número de inscritos em cada cidade e a quantidade de lugares disponíveis nos locais reservados. “O que não impede que tal comprovação seja efetivada, concretamente, no curso da aplicação das provas".

Locais sem provas pelo país

Além do estado do Amazonas, que não terá a realização do Enem por medida judicial, motivada pela crise sanitária, os municípios de Rolim de Moura e Espigão do Oeste, em Rondônia, não realizarão as provas deste domingo por decisão dos prefeitos. São 160 mil candidatos no estado nortista e 4 mil nas duas cidades.

Segundo o ministro, a pasta ainda deve avaliar os procedimentos a serem tomados para a realização do Exame nesses casos. Já os alunos que pediram para não realizar o Enem por causa de doença terão provas nos dias 23 e 24 de fevereiro, data que já estava "no radar" do ministério segundo Ribeiro.

3 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 3 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • D

    DJr

    ± 2 horas

    Meu filho também foi impedido de entrar na sala, por já ter atingido o limite de 50% da sala. na PUC-PR do Prado Velho. Ele e mais dezenas de candidatos, em vários blocos. Descobriu isso apenas no momento de entrar na sala, mesmo chegando mais de 30min antes de fechar a porta. Louvável a preocupação com a saúde, mas LAMENTÁVEL a desorganização, e a falta de um comprovante que esteve na hora e não pode entrar... medo de não conseguir remarcar isso, além de ter que continuar se preparando... esse ano de 2020 não acaba nunca, tá loco.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • J

      Joaquim

      ± 4 horas

      Esse ministro é muito eficiente, e está agindo com coerência. Infelizmente não age como os melancias da ANVISA, que estão atrapalhando a liberação da vacina de Oxford.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • C

        CARLOS ROBERTO CASAGRANDE

        ± 5 horas

        Aqui em Curitiba, especificamente em um local de provas em Santa Felicidade, meu filho foi impedido de entrar na sala para realização da prova. Ele e vários outros alunos! Alegaram que as salas estavam cheias demais e os mandaram para casa , apenas orientando a entrar no site do Inep e remarcar a prova para outro dia, sem maiores explicações! Brincadeira, que desorganização!

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        Fim dos comentários.