i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
ensino superior

Ocupação da reitoria prejudicou liberação de bolsas, diz UFPR

Pelo menos 23 novas bolsas estudantis, segundo a universidade, ainda não foram liberadas devido ao volume de procedimentos acumulados durante a ocupação

  • PorDa redação
  • 30/09/2015 19:32
Ocupação do prédio da reitoria durou 18 dias | Pedro Serapio/Gazeta do Povo
Ocupação do prédio da reitoria durou 18 dias| Foto: Pedro Serapio/Gazeta do Povo

Não é apenas a crise financeira nacional que está afetando a liberação de novas bolsas para pesquisa no país. Na Universidade Federal do Paraná (UFPR) outro problema prejudicou a área neste mês. Mais de 20 bolsas técnicas para ensino superior e médio cedidas pela Fundação Araucária, do governo do estado, ainda não foram liberadas porque, segundo a universidade, os processos administrativos da instituição se acumularam durante à ocupação do prédio da reitoria por estudantes. Uma das reivindicações dos universitários era o pagamento de bolsas em atraso.

O edital 06/2015 foi publicado no último mês de julho. Entretanto, o resultado que contemplou 14 instituições de ensino saiu apenas no último dia 13 de agosto. De acordo com o texto, a instituição de ensino contemplada deve implantar as bolsas no prazo máximo de dois meses a partir da assinatura e publicação do convênio pela Fundação.

Outro lado

Os estudantes que participaram da ocupação do prédio da reitoria refutam a tese lançada pela UFPR. Amanda Feijó, uma das estudantes que participaram do movimento, lamentou o posicionamento da instituição. “É triste que nessa altura do campeonato a reitoria coloque nas costas do alunos a responsabilidade deles. Temos conhecimento de diversos procedimentos que estão atrasados há meses, muito antes da ocupação”.

Um dos laboratórios que aguardam profissionais beneficiados pela bolsa é o Centro de Microscopia Eletrônica (CME). No ano passado, a Gazeta do Povo mostrou que o local enfrentava uma longa espera para adequação da estrutura necessária para o recebimento de um microscópio eletrônico de alta resolução. Após ter conseguido vencer a concorrência para obter o material, o CME teve de lutar pela verba necessária para adaptação da sala que receberia o equipamento -- fundamental para o desenvolvimento de pesquisas na área da Nanociência e da Nanotecnologia.

Mas os contratos das 23 bolsas da UFPR ainda não foram assinados. A assessoria da universidade informou que recebeu os documentos no dia 16 de setembro, um dia antes de alunos deixarem o prédio. A manifestação estudantil durou 18 dias. Eles pediam o pagamento de bolsas em atraso e a manutenção das bolsas-monitorias. Também queriam o congelamento do valor cobrado no restaurante universitário (RU), em R$ 1,30.

O presidente da Fundação Araucária, Paulo Brofmann, disse que a liberação das bolsas pela instituição tem ocorrido de forma rápida e que a crise econômica brasileira não tem afetado a área de pessoal da instituição. “Para quem já mandou a documentação, estamos contratando a bolsa ainda neste mês”, informou.

Já a UFPR informou que os contratos para cessão das 23 bolsas chegou à instituição no último dia 16 de setembro. Segundo a professora Graciela Inês Bolzon de Muniz, coordenador do projeto na UFPR, “todas as bolsas estão seguindo trâmites burocráticos e devem ser liberadas em cerca de um mês”. A assessoria da universidade, entretanto, ressaltou que a assinatura dos documentos dependerá do andamento de uma fila de procedimentos acumulados por conta do período de inatividade da reitoria ocasionado pela ocupação dos estudantes.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.