Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Bennet / Gazeta do Povo
| Foto: Bennet / Gazeta do Povo

Cursos e regras

A ABNT oferece um curso voltado para estudantes, professores e pesquisadores interessados na normalização de trabalhos acadêmicos. O curso tem a duração de 16 horas e o valor varia entre R$ 990 e R$ 1,1 mil. Informações de datas e locais podem ser consultadas no site www.abntcatalogo.com.br. As normas não estão disponíveis no site, mas podem ser consultadas em catálogos que custam entre R$ 18 e R$ 51.

As normas técnicas exigidas pelas universidades costumam tirar o sono de muitos estudantes quando se aproxima a fase de entrega de trabalhos de conclusão de curso (TCC). Usadas internacionalmente e regulamentadas no Brasil pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), as regras têm a função de uniformizar a apresentação dos trabalhos de pesquisa, criando um padrão de compreensão que pode ser identificado por pesquisadores do mundo todo.

INFOGRÁFICO: Veja as regras para monografias e trabalhos acadêmicos

Leia também: Orientador que não orienta: você não é o único a sofrer desse mal

Para a supervisora do Setor de Registro e Supervisão de Trabalho de Conclusão de Curso do Centro Universitário Curitiba (Unicuritiba), Eloete Camilli Oliveira, o padrão também garante credibilidade ao conteúdo do trabalho. "A observância das normas técnicas tem por objetivo indicar um padrão de segurança, confiabilidade, originalidade, permitindo a comparação dos níveis de qualidade nos trabalhos e pesquisas científicas."

A doutora Elza Aparecida Oliveira Filha, professora de Pesquisa em Jornalismo da Universidade Positivo, vê na padronização um modo de facilitar o trânsito de informações e conhecimento científico. "A inexistência de regras atrasava o avanço do trabalho científico. Uma referência errada pode dificultar o trabalho de outro pesquisador."

Mas adequar um trabalho às normas da ABNT não é uma tarefa fácil. Além de conhecer as regras gerais, o aluno precisa estar antenado sobre as exigências de sua universidade, já que, por exemplo, o tipo de fonte permitido pode variar entre as instituições.

Entre os erros mais comuns estão o uso incorreto de termos como o apud (citado por) e a ausência de fontes na lista de referências bibliográficas. Para evitar dor de cabeça, o conselho de Elza é simples: siga as regras desde o início do trabalho. Não deixe para acrescentar fontes de citações ou colocar as referências bibliográficas só quando acabar toda a pesquisa. "O desgaste de energia e de tempo é muito maior. Comece fazendo tudo certo, recomenda.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]