Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Marlon Junges e a mãe, Gladis | Aniele Nascimento/ Gazeta do Povo
Marlon Junges e a mãe, Gladis| Foto: Aniele Nascimento/ Gazeta do Povo

Dúvida

O candidato convocado que não quiser refazer a prova não é obrigado. Nesse caso, ele fica com a nota anterior. É aconselhável, entretanto, que o estudante entre em contato com MEC pelo 0800-616161 para registrar a sua desistência.

Atenção

Na última quinta-feira (9), a Defensoria Pública Federal entrou com uma ação civil pública na Justiça Federal do Rio de Janeiro pedindo a alteração da data de reaplicação do Enem. Até o fechamento desta edição, entretanto, o exame permanecia agendado para 15 de dezembro.

Cidades

O Enem será aplicado em 218 cidades de 17 estados, entre eles Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. Não haverá prova no Acre, em Alagoas, no Amapá, em Mato Grosso, na Paraíba, no Rio de Janeiro, no Rio Grande do Norte, em Rondônia, em Roraima e no Distrito Federal.

  • Arthur Paz Brunelli recebeu o convite do MEC por e-mail

A dica para quem vai refazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é não se preocupar com os problemas que aconteceram em novembro, e sim com o que virá pela frente. Os candidatos terão quatro horas e meia para resolver 90 questões de Geografia, História, Filosofia, Sociologia, Física, Química e Biologia. "Esperamos que a prova tenha um nível equivalente de dificuldade em relação à aplicada em novembro. Também acreditamos que não haverá problemas desta vez", afirma Renato Ribas Vaz, diretor-geral do Curso Positivo.Até o fechamento desta edição, cerca de 3 mil estudantes de todo o país seriam convocados para participar da segunda edição do Enem 2010, porque no primeiro dia do exame receberam versões amarelas da prova com erros de impressão. Segundo o Ministério da Educação (MEC), os estudantes prejudicados foram identificados pelas atas das salas de prova, onde os fiscais deveriam ter anotado os problemas ocorridos nos dois dias do exame.

Para o diretor do Curso Dom Bosco, Luiz Octávio Stocco, é fundamental que o aluno passe uma borracha no que aconteceu e se concentre para esta nova prova. "Ele precisa virar essa página e encarar o exame. Deve se focar na resolução das questões e não ficar preocupado se o exame terá problemas ou se será mais fácil ou mais difícil que a anterior", afirma.

A expectativa dos candidatos

Na quarta-feira, dia 8, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, responsável pelo Enem, liberou a consulta aos locais de prova para os estudantes convocados. De acordo com o MEC, apenas os alunos que tiveram seus problemas registrados em ata poderão refazer os testes. A uma semana do exame, muitos estudantes ainda não haviam recebido nenhum aviso do ministério e estavam nervosos com a demora. "No final da tarde de quarta-feira recebi uma mensagem no meu celular pedindo para que eu consultasse o site do Inep. Verifiquei meu ensalamento e agora estou mais aliviado", afirma Marlon Junges, de 18 anos, vestibulando de Engenharia Civil.

Para ele a expectativa é de que a prova tenha o mesmo nível de dificuldade da anterior. "O MEC não vai querer prejudicar de novo os alunos que vão refazer o exame. Estou confiante que dessa vez ele vai acertar e não haverá nenhum problema no dia", afirma. Com o alívio em ter uma nova chance, Marlon pretende encarar o exame como se fosse a primeira prova. "Vou dar uma estudada e me preparar novamente", conta.

Arthur Paz Brunelli, 21 anos, que tenta uma vaga em Medicina, também recebeu o comunicado do MEC no final da tarde do dia 8, mas por e-mail. "Agora estou mais tranquilo", afirma. Ele também acredita que a prova não deve trazer grandes surpresas em relação ao que já foi aplicado em novembro. "Espero que o exame siga o mesmo padrão e que a Teoria de Resposta ao Item (TRI) realmente funcione", dizA TRI é o principal argumento usado pelo MEC para descartar a necessidade de aplicar uma nova prova a todos os estudantes. De acordo com o ministério, esse modelo matemático permite que provas diferentes tenham o mesmo grau de dificuldade. Na TRI, não basta somar o número de questões corretas para calcular a nota final do candidato: as perguntas têm pesos diferentes, que variam conforme a dificuldade e a possibilidade de acerto casual.

Natureza

Meio ambiente é palavra-chave

Luiz Octávio Stocco, diretor do Curso Dom Bosco, acredita que alguns pontos comuns nas provas do Enem devem ser retomados. "A prova deve novamente ser bastante contextualizada e abordar assuntos do cotidiano dos alunos", afirma. Nas questões de Ciências da Natureza o professor aposta em temas relacionados ao meio ambiente e à sustentabilidade. "Poluição atmosférica, novas fontes de energia e questões ligadas ao petróleo são assuntos com boas chances de aparecerem", afirma.

O professor de Biologia Augusto Borba, do Curso Acesso, também considera que o teste deve ser bastante semelhante ao anterior, com conteúdos voltados a questões ambientais. "Na última prova foram oito questões sobre Ecologia. Já assuntos como Zoologia e Genética não apareceram e podem ser cobrados", afirma. Segundo ele, é importante que o aluno também se prepare para a interpretação de gráficos e tabelas, pois este foi outro ponto pouco explorado em novembro.

Humanas

Apostas são os temas clássicos

Rafael Hauer, professor de Filosofia do Curso Dom Bosco, afirma que os conteúdos de Filosofia devem aparecer ao longo de todo o exame de Ciências Humanas, principalmente nos textos de apoio. "Autores do Iluminismo, como Rousseau e Locke, podem ser cobrados, porque foram pouco explorados nas últimas provas do Enem", diz.

Nas questões de História, o professor de Filosofia e História Marciel Colonetti, do Colégio Marista Paranaense, aposta em temas clássicos, como Grécia Antiga e Revolução Francesa. "Em História do Brasil podem aparecer questões sobre o primeiro e o segundo reinado, a chegada da família real ao Brasil e o processo de independência", afirma.

Colonetti explica que o Enem é uma prova que busca problematizar as questões, levando o aluno a associar os conteúdos de sala de aula com a realidade ao seu redor. "As questões trabalham temas contemporâneos. O aluno tem de estar atualizado sobre os avanços no campo da ciência e da tecnologia, ler notícias e revistas" afirma. Ainda segundo ele, os enunciados exigem atenção redobrada dos estudantes. Mesmo com longos textos de apoio, é preciso fazer uma leitura cuidadosa de toda a questão. "A grande dificuldade dos vestibulandos é que eles não conseguem compreender o que está sendo pedido. Muitas vezes eles sabem o conteúdo, mas por falta de atenção perdem o exercício", explica.

Detalhes

Provas serão aplicadas novamente aos participantes do exame do dia 6 de novembro prejudicados por erros de impressão na versão amarela

- Data: 15 de dezembro, quarta-feira

- Horário: os portões serão abertos às 12 h e fechados às 12h55. As provas começam às 13h e terminam às 17h30 (horário de Brasília).

- Locais: no Paraná, o exame será realizado em Curitiba, Goioerê, Guarapuava, Pinhão, Pitanga e Ponta Grossa

- Ensalamento: os estudantes convocados podem verificar o local de prova pela internet (http://sistemasenem2.inep.gov.br/localdeprova). É preciso ter número do CPF e senha.

- O que levar: novo cartão de inscrição (que está disponível no portal do Inep), documento de identidade com foto e caneta esferográfica preta.

- Proibido durante a prova: relógio, lápis, borracha, apontador, lapiseira, grafite, livros, anotações e equipamentos eletrônicos.

Interatividade:Você recebeu a prova com problemas e não foi chamado?

Escreva para vestibular@gazetadopovo.com.br

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]