Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

ESTRATÉGIA

Aécio cogita concorrer a deputado para manter foro privilegiado

Senador dá prioridade à política regional de Minas Gerais para tentar se reerguer. E não descarta tentar uma vaga na Câmara nas eleições de 2018

  • Folhapress
Tasso Jereissati e Aécio Neves: desentendimento na cúpula dos tucanos. | Jonas Pereira/Agência Senado
Tasso Jereissati e Aécio Neves: desentendimento na cúpula dos tucanos. Jonas Pereira/Agência Senado
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Fragilizado com as investigações da Lava Jato, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) aposta na política regional para tentar garantir um mandato nas eleições do próximo ano e dedicará as próximas semanas à reestruturação do partido em Minas Gerais. E não descarta concorrer a deputado federal para garantir um mandato – e manter a prerrogativa de ser julgado apenas pelo Supremo Tribunal Federal, o chamado foro privilegiado.

O recolhimento antecede a convenção regional do PSDB que, em 11 de novembro, escolherá os presidentes estaduais do partido.

Aécio quer aproveitar esse período para reestruturar o PSDB mineiro. Depois disso, vê a possibilidade de voltar “com força” à cena nacional.

Está prevista para 9 de dezembro a convenção da sigla, quando uma nova executiva será eleita. De acordo com um aliado do senador, ao se concentrar em questões regionais, Aécio vai avaliar a força política que tem em seu estado para decidir se disputará a reeleição no Senado em 2018 ou se optará por concorrer a uma vaga na Câmara. Para esse aliado, “não é o momento de arriscar”.

Alvo de nove inquéritos e de uma denúncia, o senador precisa de um mandato para manter foro no STF após 2018, quando termina a legislatura para qual foi eleito.

O tucano foi gravado em março pelo empresário e delator Joesley Batista, da JBS, a quem pediu R$ 2 milhões. O episódio lhe rendeu acusação de corrupção passiva e obstrução da Justiça.

Aécio está licenciado da presidência nacional do PSDB desde maio deste ano, quando foi afastado pela primeira vez do mandato. O cargo foi assumido interinamente pelo senador Tasso Jereissati (CE), com quem o mineiro vem se desentendendo.

LEIA TAMBÉM:Maia afirma que vai rejeitar todos os pedidos de impeachment contra Temer

Conselheiros de Aécio acreditam que, se montar uma estrutura de apoiadores em Minas, ele terá chance de mostrar força no partido e influenciar a escolha do novo presidente do PSDB.

Até o momento, apenas o governador de Goiás, Marconi Perillo, oficializou que disputará o cargo.

O goiano é seu aliado e, assim como Aécio, defende a aliança do PSDB com o governo Temer.

Tasso nega oficialmente ser candidato, mas vem afirmando nos últimos dias que pode atender a um “apelo” de uma ala do PSDB que pede “mudanças” nos caminhos do partido.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Política

PUBLICIDADE