Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Política
  3. República
  4. Eleições 2018
  5. Carimbo de Lula faz ‘plano B’ do PT dar salto em pesquisa presidencial

eleições

Carimbo de Lula faz ‘plano B’ do PT dar salto em pesquisa presidencial

Quando é identificado pelo entrevistador como “apoiado por Lula”, Fernando Haddad (PT) sobe de 3% para 11% das intenções de voto, com chance real de 2º turno. Pesquisa foi encomendada pela XP Investimentos

  • Jéssica Sant’Ana
 | Rafael Ribeiro/Fotos Públicas
Rafael Ribeiro/Fotos Públicas
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Pesquisa encomendada pela XP Investimentos mostra que o carimbo do ex-presidente Lula faz um dos nomes cotados como plano B do PT para eleição dar um salto na corrida presidencial. Quando é identificado pelo entrevistador como “apoiado por Lula”, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad aparece na sondagem com 11% da intenções de voto, empatado com Marina Silva (Rede) e na frente de Ciro Gomes (PDT). Já quando o nome do petista é apresentado sem a citação do apoio do ex-presidente, Haddad tem apenas 3% das intenções de voto. A pesquisa foi feita entre os dias 4 e 6 de junho com 1 mil pessoas e tem margem de erro de 3,2 pontos percentuais.

Em relação aos cenários do primeiro turno, Jair Bolsonaro (PSL) lidera em todos, menos no que Lula é considerado candidato. Quando aparece como possível concorrente, o ex-presidente lidera a pesquisa com 30% das intenções de voto. Depois aparecem Bolsonaro, com 20%, Marina Silva, com 10%, Geraldo Alckmin (PSDB), com 7%, Ciro Gomes, com 6%, e Alvaro Dias (Podemos), com 5%. Votos brancos e nulos chegam a 15%.

Leia também: Adversários vestem figurino ‘anti-Bolsonaro’, mas estratégia pode ser tiro no pé

Já quando o nome de Lula não está entre as possibilidades, nem Fernando Haddad, a liderança é de Jair Bolsonaro, com 23% das intenções de voto. Atrás, aparecem Marina Silva (13%), Ciro Gomes (11%), Alckmin (9%) e Alvaro (7%). Cerca de 30% dos entrevistados afirmam votar branco ou nulo.

Outro cenário previsto na pesquisa é sem Lula e com Fernando Haddad. Nesse caso, foram feitas duas abordagens: quando o apoio de Lula é mencionado, Bolsonaro aparece com 21%, seguido por Hadadd (11%), Marina Silva (11%), Ciro Gomes (9%), Geraldo Alckmin (8%) e Alvaro Dias (6%). Votos brancos e nulos são 25%.

Leia também: PT lança vídeo com jingle e slogan da pré-campanha ‘Lula presidente’. Assista!

Já quando o apoio de Lula não é mencionado, Bolsonaro tem 22% das intenções de voto, seguido por Marina (13%), Ciro (11%), Alckmin (8%), Alvaro (6%) e Fernando Haddad (3%). Votos brancos e nulos chegam a 27%.

Na pesquisa espontânea, quando os entrevistados não são apresentados aos nomes dos possíveis candidatos, Jair Bolsonaro e Lula têm, cada um, 14% das intenções de voto. Os demais candidatos aparecem com percentuais igual ou menor a 2%. Votos brancos e nulos somam 25% e não sabem, 37%.

Segundo turno

Considerando os cenários previstos para o segundo turno, Bolsonaro não é líder absoluto. Quando a disputa é com Lula, o pré-candidato do PSL têm 35% das intenções de voto, contra 40% do ex-presidente. Já na disputa com Marina, há um empate técnico, considerando a margem de erro de 3,5 pontos percentuais. Marina Silva aparece com 36% das intenções de votos e Bolsonaro, 35%. O empate técnico, considerando a margem de erro, também acontece na disputa com Ciro Gomes, que aparece com 33% das intenções de voto e Bolsonaro com 35%.

Leia também: Mercado financeiro acredita que Bolsonaro ganhará eleição para presidente

O único cenário em que Bolsonaro aparece na frente é contra Geraldo Alckmin. Na disputa com o ex-governador de São Paulo, o tucano tem 29% das intenções e Bolsonaro, 34%.

Outro cenário apontado pela pesquisa é entre Alckmin e Haddad. Nesse caso, o tucano teria 30% dos votos e o petista, 20%. Quando os nomes apontados para segundo turno são Ciro Gomes e Geraldo Alckmin, o ex-governador de São Paulo tem 29% das intenções de voto e Ciro Gomes, 32%.

Metodologia

A pesquisa foi encomendada pela XP Investimentos e foi realizada pelo Ipespe (Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas). As entrevistas foram feitas entre os dias 4 e 6 de junho de 2018. Foram entrevistadas 1 mil pessoas por telefone de todas as regiões do país. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais. O registro da pesquisa no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é BR-05997/2018.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE