Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE

eleição

Yared fala sobre saída da bancada evangélica, Ratinho, Alvaro e Richa

A deputada federal Christiane Yared (PR), pré-candidata ao Senado, foi a entrevistada desta segunda-feira (7) pela Gazeta do Povo

  • Da Redação
  • Atualizado em às
A deputada federal Christiane Yared foi sabatinada ao vivo pela Gazeta. | Jonathan Campos/Gazeta do Povo
A deputada federal Christiane Yared foi sabatinada ao vivo pela Gazeta. Jonathan Campos/Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Deputada federal mais votada na última eleição, Christiane Yared (PR) agora se coloca como pré-candidata ao Senado pelo Paraná. “É um desejo meu, de poder ajudar o meu estado”, afirma, apesar de reconhecer que o PR, seu partido, ainda não a chamou para conversar.

Yared, que foi a quarta sabatinada pela Gazeta do Povo nas entrevistas com os pré-candidatos ao Senado, reconhece a dificuldade da disputa. “A majoritária precisa de muitos votos, mas coloquei meu nome para que as pessoas possam analisar.”

Veja a seguir os principais trechos da entrevista realizada ao vivo nesta segunda-feira (7):

Propostas e alianças

“Não sou de direita nem de esquerda. O meu partido é meu estado”, define Yared. Ela defende uma atuação municipalista e um novo pacto federativo. “Tenho conversado muito com prefeitos e as pessoas no interior (...). Todos concordam que precisam de um senador municipalista.” Ela diz que, como deputada, ajudou 122 cidades com emendas, além de ter feito votos em 302 municípios do Paraná.

Yared também é favorável ao Estado mínimo. “Quanto menor a mão do governo, melhor.” E afirma que, se eleita, seguirá com a bandeira do trânsito. “Foi essa dor que me trouxe onde estou”, referindo-se à colisão que vitimou o filho há nove anos. Entre as propostas apresentadas, ela cita, por exemplo, o projeto que pune o motorista que manuseia o celular enquanto estiver ao volante.

Sobre coligações, ela disse que, ao contrário de 2014, não se coligaria novamente com o PT.

Candidato ao governo

Possível candidata ao Senado na chapa de Ratinho Junior (PSD), Yared diz que gostou de ouvir o pré-candidato ao governo do estado falar e achou “fantástico o plano dele para o governo”. “O Ratinho se tornou um amigo.”

Beto Richa

Nos bastidores, houve o boato de que Yared teria predileção especial para disputar o Senado contra o ex-governador Beto Richa (PSDB) por conta da briga histórica entre os dois. Questionada sobre os rumores na entrevista, a deputada disse que eles não são reais. “De maneira nenhuma faria isso”, afirma. “O Senado é um sonho que nasceu no meu coração, vi a necessidade do estado.”

Sobre uma possível eleição dos dois (duas vagas ao Senado estarão na disputa em outubro), Yared disse que conversaria com Richa tranquilamente. Ao fim da entrevista, afirmou considerá-lo “muito astuto”.

Marido em Itaipu

Questionada sobre o cargo que o marido, Gilmar, chegou a ocupar na Itaipu Binacional, Yared disse que ele foi chamado por um amigo, um dos diretores, apresentou um projeto e se retirou.

Ela negou tê-lo indicado e disse estar tranquila quanto a isso, citando as vezes em que se posicionou contra o governo em questão.

Bancada evangélica

“Não faço parte da bancada evangélica. Tenho certeza que meu Deus é um pouco diferente do Deus que eles seguem. Não misturo as coisas”, disse Yared, que é pastora da Igreja do Evangelho Eterno.

Ela conta ter visto algumas posições da bancada evangélica na Câmara Federal e ter ficado preocupada. “Achei que não era o meu lugar. Pedi para retirar o meu nome. Não estou lá para ser pastora. Estou lá para ser deputada federal.”

Posicionamentos

Yared diz ser favorável à união civil de pessoas do mesmo sexo e à adoção homoafetiva. “Estamos falando de direitos constitucionais. E as pessoas têm direitos.”

Sobre o aborto, disse ser favorável ao que a Constituição Federal já prevê. “A legislação está muito bem posta com relação ao aborto. Deixa o que está e não mexe.”

Defesa da vida: por que o aborto não deve ser legalizado no Brasil

Reformas

Para a deputada, a reforma mais urgente para o país é a Tributária, seguida da Trabalhista e, por fim, a da Previdência (apesar de não concordar com a que está sendo discutida).

Com relação aos tributos, Yared disse que o país tem impostos demais e que 55% deles são tributações indiretas. “Tem que mexer nessa questão”, afirmou. “Entre os empresários, a sensação que se tem é de estar sendo afogado pelos impostos”, completou, lembrando da sua atuação na iniciativa privada.

Sobre a reforma Previdenciária, ela ponderou que cada caso é um caso, mas que, no geral, é favorável à idade mínima para aposentadoria e que todas as categorias sejam impactadas.

Candidato a presidente

“Meu candidato a presidente é a pessoa que tenho como referência política. É o senador Alvaro Dias (Pode). O vejo com postura de presidente. Gosto muito do trabalho dele, é um nome limpo.”

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE