i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Tentativa de reeleição

Alexandre Kalil (PSD): candidato a prefeito de Belo Horizonte | Eleições 2020

  • PorGazeta do Povo
  • 18/09/2020 08:31
Alexandre Kalil (PSD)
Alexandre Kalil (PSD), prefeito de Belo Horizonte.| Foto: Rodrigo Clemente/Prefeitura de Belo Horizonte

Atual prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD) busca a reeleição no comando da capital mineira. A chapa terá como vice Fuad Noman, que foi secretário de Fazenda da gestão de Kalil. O vice também atuou como secretário no primeiro mandato de Aécio Neves (PSDB) como governador de Minas Gerais (2003-2007). A candidatura foi confirmada em convenção com a presença do presidente nacional da legenda, Gilberto Kassab.

Kalil, de 61 anos, elegeu-se em 2016 dando ênfase à sua experiência como empresário. Ele também foi presidente do Clube Atlético Mineiro. À época, o atual prefeito foi questionado por ter dívidas com a própria prefeitura, pelo não pagamento do IPTU de imóveis. Depois de eleito, Kalil prometeu quitar os débitos – mas, conforme revelou o jornal Folha de S. Paulo, a dívida só cresceu nos últimos anos. Agora, o montante chega a R$ 243 mil.

Questionado pelo jornal, Kalil afirmou que conseguiu pagar apenas parte dos débitos em 2016. "Isso porque não roubei, não enriqueci na prefeitura nem usei do cargo para me beneficiar. Estranho seria se as dívidas tivessem desaparecido. Nenhum tratamento especial foi dado a mim", disse.

Durante a gestão de Kalil, a Câmara Municipal de Belo Horizonte aprovou o Plano Diretor do município, que se arrastava em discussões desde 2015. A aprovação foi vista como fruto da articulação promovida pelo prefeito.

Entre as medidas previstas no Plano está a proibição da canalização de córregos – importante para evitar episódios como os do início deste ano, em que bueiros explodiram por conta das fortes chuvas. As enchentes de janeiro, aliás, foram um dos principais problemas enfrentados por Kalil à frente do Executivo. Naquele mês, 13 pessoas morreram na capital por conta dos alagamentos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.