i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Perfil

Eduardo Paes (DEM): candidato a prefeito do Rio de Janeiro | Eleições 2020

  • PorGazeta do Povo, com Estadão Conteúdo
  • 10/09/2020 17:46
Eduardo Paes é o candidato do DEM a prefeitura do Rio de Janeiro.
Eduardo Paes é o candidato do DEM a prefeitura do Rio de Janeiro.| Foto: J.P. Engelbrecht/Prefeitura do Rio de Janeiro

Eduardo Paes foi prefeito do Rio de Janeiro por dois mandatos consecutivos, de 2009 a 2017. É formado em direito, foi vereador (1996 a 1999), deputado federal (1999 a 2007). Também atuou como secretário de Turismo, Esporte e Lazer do Estado do Rio de Janeiro (2007 a 2008), na gestão de Sérgio Cabral. Em 2018, Paes se candidatou ao governo do estado, mas perdeu para o Wilson Witzel (PSC) no segundo turno.

O vice escolhido para compor a chapa é Nilton Caldeira (PL). Caldeira foi subsecretário de Desenvolvimento Social na gestão de Cesar Maia. Atualmente ele é adjunto da presidência do Inea (Instituto Estadual do Ambiente, da Secretaria Estadual do Ambiente).

Investigação

Paes virou réu por crimes de corrupção, falsidade ideológica eleitoral e lavagem de dinheiro e no dia 8 de setembro sua casa foi alvo de busca e apreensão. Segundo o Ministério Público, o ex-prefeito recebeu cerca de R$ 10,8 milhões em propinas de executivos da empreiteira Odebrecht entre junho e setembro de 2012.

De acordo com a Promotoria, os valores tinham como intuito custear a campanha de reeleição do político e chegaram até ele por meio de dois operadores, que receberam 18 entregas de dinheiro efetuadas por uma transportadora de valores registradas com recibos e guias. O ex-prefeito classificou a operação contra ele como uma "tentativa clara de interferência do processo eleitoral".

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.