Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
pesquisas eleitorais
Pesquisa eleitoral em São Paulo| Foto: Infografia/Gazeta do Povo

Levantamento eleitoral do Paraná Pesquisas para o governo de São Paulo, divulgado nesta segunda-feira (30), mostrou o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) na liderança da corrida eleitoral para o Palácio Bandeirantes na pesquisa estimulada. O petista estava com 28,6% das intenções de voto. Na sequência apareciam Tarcísio de Freitas (Republicanos), com 17,9%, e Marcio França (PSB), tecnicamente empatados. Rodrigo Garcia (PSDB), atual governador de São Paulo, estava com 7,3% das intenções de voto.

Em relação ao levantamento anterior, feito no começo de maio, Haddad e França caíram 0,9 ponto percentual, enquanto Tarcísio subiu 2,7 e Garcia, 1,7.

Em um cenário sem França, que ainda negocia uma aliança com o PT na disputa paulista, Haddad subia para 34,5% das intenções de voto. Tarcísio ficava com 21,7% e Rodrigo Garcia, com 10,5%. Já o apoio do presidente Jair Bolsonaro ao nome de Tarcísio tem o potencial de alavancar o pré-candidato, que, neste cenário, aparecia com 31% das intenções de voto, tecnicamente empatado com o petista, que tinha, com apoio de Lula, 35,3%.

Na pesquisa espontânea (quando as opções de candidatos não são apresentadas ao eleitor), Tarcísio de Freitas aparece numericamente à frente do petista, com 6,6% contra 4,1%, embora a diferença esteja dentro da margem de erro de 2,3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Confira a seguir os resultados da pesquisa realizada pelo instituto Paraná Pesquisas, sob encomenda da corretora BGC Liquidez.

Pesquisa para o governo de São Paulo: 1º turno

Cenário 1

  • Fernando Haddad (PT) – 28,6%
  • Tarcísio de Freitas (Republicanos) – 17,9%
  • Márcio França (PSB) – 17,7%
  • Rodrigo Garcia (PSDB) – 7,3%
  • Felicio Ramuth (PSD) – 1,2%
  • Gabriel Colombo (PCB) – 1,1%
  • Vinicius Poit (Novo) – 0,5%
  • Elvis Cezar (PDT) – 0,4%
  • Abraham Weintraub (PMB) – 0,3%
  • Altino Junior (PSTU) – 0,1%
  • Branco/Nulo/Não vai votar – 16,4%
  • Indecisos – 8,6%

Cenário 2 - com menos nomes na disputa

  • Fernando Haddad (PT) – 29%
  • Marcio França (PSB) - 18,7%
  • Tarcísio de Freitas (Republicanos) – 18,2%
  • Rodrigo Garcia (PSDB) – 7,5%
  • Branco/Nulo/Não vai votar – 17,6%
  • Indecisos – 8,9%

Cenário 3 - sem França

  • Fernando Haddad (PT) – 34,5%
  • Tarcísio de Freitas (Republicanos) – 21,7%
  • Rodrigo Garcia (PSDB) – 10,5%
  • Branco/Nulo/Não vai votar – 23,1%
  • Indecisos – 10,2%

Cenário 4 - com apoio dos presidenciáveis

  • Fernando Haddad (com apoio de Lula) – 35,3%
  • Tarcísio de Freitas (com apoio de Bolsonaro) – 31%
  • Rodrigo Garcia (com apoio de Doria) – 11,5%
  • Branco/Nulo/Não vai votar – 16%
  • Indecisos – 6,3%

Metodologia da pesquisa

O Paraná Pesquisas entrevistou 1.880 eleitores do estado de São Paulo entre os dias 22 e 26 de maio. A margem de erro é de 2,3 pontos percentuais para um intervalo de confiança de 95%. O levantamento foi encomendado pela corretora BGC Liquidez e está registrado no Tribunal Superior Eleitoral com o protocolo SP-01735/2022.

Por que a Gazeta do Povo publica pesquisas eleitorais

A Gazeta do Povo publica há anos todas as pesquisas de intenção de voto realizadas pelos principais institutos de opinião pública do país. Você pode conferir os levantamentos mais recentes neste link, além de reportagens sobre o tema.

As pesquisas de intenção de voto fazem uma leitura de momento, com base em amostras representativas da população. Métodos de entrevistas, a composição e o número da amostra e até mesmo a forma como uma pergunta é feita são fatores que podem influenciar o resultado. Por isso é importante ficar atento às informações de metodologias, encontradas no fim das matérias da Gazeta do Povo sobre pesquisas eleitorais.

Feitos esses apontamentos, a Gazeta considera que as pesquisas eleitorais, longe de serem uma previsão do resultado das eleições, são uma ferramenta de informação à disposição do leitor, já que os resultados divulgados têm potencial de influenciar decisões de partidos, de lideranças políticas e até mesmo os humores do mercado financeiro.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]