Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
O deputado estadual Arthur do Val (Podemos-SP).
O deputado estadual Arthur do Val (Podemos-SP).| Foto: Reprodução/Twitter.

Políticos aliados e opositores ao deputado estadual Arthur do Val (Podemos-SP) criticaram as declarações atribuídas ao parlamentar sobre refugiadas ucranianas. O pré-candidato ao governo de São Paulo pelo Podemos, conhecido como "Mamãe Falei", teve áudios vazados em que afirma que as ucranianas são "fáceis porque são pobres".

"Só vou falar uma coisa para vocês: acabei de cruzar a fronteia a pé aqui, da Ucrânia com a Eslováquia. Eu juro, nunca na minha vida vi nada parecido em termos de 'mina' bonita. A fila das refugiadas… Imagina uma fila sei lá, de 200 metros, só deusa. Sem noção, inacreditável, fora de série. Se pegar a fila da melhor balada do Brasil, na melhor época do ano, não chega aos pés da fila de refugiados aqui", diz um trecho do áudio divulgado nesta sexta-feira (4).

O ex-juiz e pré-candidato à Presidência da República, Sergio Moro (Podemos), rompeu com o integrante do Movimento Brasil Livre (MBL) e cobrou um posicionamento do partido. Em resposta, a presidente da legenda, a deputada federal Renata Abreu (SP), anunciou que o Podemos abriu um procedimento disciplinar interno para apuração dos fatos.

"Jamais dividirei meu palanque e apoiarei pessoas quem têm esse tipo de opinião e comportamento. Espero que meu partido se manifeste brevemente diante da gravidade que a situação exige", disse Moro, em nota. Antes da divulgação dos áudios, Moro havia elogiado a iniciativa de do Val em ir para Ucrânia após a invasão russa.

O ex-ministro da Educação e ex-candidato a presidente da República Fernando Haddad (PT) questionou Moro sobre o episódio. "Outra gafe verbal, Moro?", provocou o petista nas redes sociais ao lembrar que o ex-juiz havia afirmado que as falas sobre o nazismo do deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) em um podcast no mês passado foram "gafe verbal".

O pré-candidato ao Planalto e governador de São Paulo, João Doria (PSDB), também criticou a declaração atribuída ao representante do MBL. "Repudiante a fala do deputado Arthur do Val sobre as mulheres ucranianas. Inaceitável! Vergonhoso!", disse o tucano.

No Twitter, a senadora e pré-candidata à Presidência da República pelo MDB, Simone Tebet (MS), chamou de "oportunista, desumano e ignorante quem vai a uma guerra e comete crime de difamação contra mulheres", e disse que a Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) precisa agir imediatamente.

O ex-presidente da República e senador por Alagoas, Fernando Collor (PROS), também se manifestou via Twitter. "No mês conhecido como das mulheres, é preciso reagir de forma contundente e sepultar de uma vez por todas a objetificação. A elas, brasileiras ou ucranianas, o nosso maior respeito", declarou.

O ex-candidato a presidente da República Guilherme Boulos (Psol) classificou o episódio como "asqueroso". "Deputado paulista vai para a Ucrânia se fingir de combatente mas, pelo visto, foi fazer turismo sexual, cheio de preconceito social e machismo... O MBL sempre foi humanamente desprezível. Inventaram fake news sobre Marielle e atacaram Padre Júlio. Mas o áudio de Mamãe Falei ultrapassa qualquer limite de indignidade moral. Ir para um país em guerra para assediar mulheres desesperadas é nojento demais!", disse Boulos no Twitter.

O deputado federal Tulio Gadêlha (PDT-PE) também se manifestou pelas redes sociais a respeito dos áudios e pediu a cassação do mandato. "É de perder a esperança na humanidade Que o conselho de ética casse o mandato desse cidadão", afirmou. A deputada federal Tabata Amaral (PSB-SP) também reagiu: "As falas nojentas nos lembram que a misoginia e o machismo prevalecem até mesmo nos momentos de maior sofrimento. Essa objetificação das mulheres é ainda mais revoltante por ser pessoas enfrentando uma guerra, em que suas próprias vidas estão em risco", escreveu no Twitter.

O parlamentar deverá enfrentar várias representações na Alesp. Entre os deputados que pretendem representar contra Arthur do Val no Conselho de Ética, estão os petistas Emídio de Souza, Paulo Fiorilo e José Américo, o deputado do PL Gil Diniz, entre outros.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]